02 de março de 2024
EM COCALZINHO DE GOIÁS

Caverna dos Ecos é considerada a maior caverna composta por micaxisto no Brasil

Na América Latina, a Caverna dos Ecos abriga o maior lago subterrâneo do continente, segundo dados do ICMBio
Turismo no local é restrito e conta com dimensões impressionantes e água transparente. (Foto: Arquivo pessoal/Rodrigo Santos de Sousa)
Turismo no local é restrito e conta com dimensões impressionantes e água transparente. (Foto: Arquivo pessoal/Rodrigo Santos de Sousa)

A Caverna dos Ecos, localizada em Cocalzinho de Goiás, é considerada a maior caverna composta pela rocha micaxisto do Brasil, abrigando o maior lago subterrâneo da América Latina em cavernas formadas por esse tipo de rocha, segundo dados do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O turismo no local é restrito e conta com grandes dimensões impressionantes e água transparente.

Segundo o geólogo e analista ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conversação de Cavernas do ICMBio, José Carlos Ribeiro Reino, é o maior lago, se não o único, em cavernas formadas em micaxisto. “Vale ressaltar que são poucas cavernas nessa litologia”, afirmou.

Em propriedade privada, a Caverna dos Ecos foi oficialmente apresentada à comunidade espeleológica e 1976, mas já era conhecida. De acordo com o geólogo, a caverna tem 1.811 metros de projeção horizontal, que consiste em uma forma de representar a caverna em mapas.

“A caverna tem 1.811 metros de projeção horizontal, que é uma forma de representar a caverna em mapa, segundo o atlas das grandes cavernas do Brasil. Ela figura como a maior em micaxisto do Brasil, mas não é citada se também é a maior do mundo nesse tipo de rocha”, diz.

De acordo com o geólogo, a Caverna dos Ecos foi interditada ao turismo em 2001 devido a denúncias de pesquisadores e grupos de espeleologia e, atualmente, apenas alguns guias são autorizados a levar as pessoas até a caverna.

Em termos hidrológicos, José Carlos, a Caverna dos Ecos representa uma maneira de recarga hídrica para o aquífero local. “A importância da caverna se deve pela singularidade e história evolutiva que essa feição possuí, sendo praticamente única no país e talvez no mundo, dada a especificidade das rochas envolvidas, no caso uma combinação de micaxistos e carbonatos”, afirma.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.