21 de fevereiro de 2024
Caso Amélia • atualizado em 05/12/2023 às 19:34

Polícia Civil prende novo suspeito de estuprar e matar jovem que sumiu na última semana; entenda

De acordo com delegado, a pessoa presa nesta terça-feira (5) já confessou o crime
Janildo da Silva Magalhães foi indiciado e detido pela morte e estupro da estudante Amélia Vitória em Aparecida de Goiânia. (Foto: Divulgação/Policia Civil)
Janildo da Silva Magalhães foi indiciado e detido pela morte e estupro da estudante Amélia Vitória em Aparecida de Goiânia. (Foto: Divulgação/Policia Civil)

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) concluiu as investigações do caso Amélia Vitória, jovem de 14 anos que foi sequestrada e morta após sair de casa para buscar a irmã na escola, em Aparecida de Goiânia. Isso por que um novo suspeito, identificado como Janildo da Silva Magalhães, foi preso e indiciado pelos crimes. De acordo com o delegado do Grupo de Investigação de Homicídios de Aparecida de Goiânia (GIH), Eduardo Rodovalho, Janildo confessou o crime e o primeiro suspeito antes detido não teria nenhuma relação com o crime.

Além disso, ainda foi informado que Janildo responde por outro crime de estupro, cometido em 2017, no município de Rio Verde, além de tráfico de drogas, furto e homicídio, este último praticado dentro do sistema penitenciário. Com isso, o primeiro homem apontado como suspeito do crime foi solto.

Conforme divulgou a PCGO, as autoridades chegaram ao real autor do crime após resultados de laudos de material genético realizado pela Polícia Técnico Científica. O exame de DNA identificou material genético de Janildo da Silva no corpo da adolescente.

Amélia Vitória sumiu na última quinta-feira (30), ficando desaparecida por três dias e teve o corpo encontrado no último sábado (2/12) em uma calçada no no Parque Hayalla, em Aparecida. De acordo com a PCGO, o criminoso teria abordado a vítima de bicicleta, a levado para um matagal e a violentado. Após isso, ele levou a menina para um imóvel abandonado, onde teria cometido abusos durante a noite.

Por fim, o acusado teria levado a vítima para a Rua Hamatita, onde ela foi morta e seu corpo foi abandonado. Amélia Vitória teria sido morta por asfixia.


Leia mais sobre: / Notícias do Estado

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.