14 de junho de 2024
Investigação • atualizado em 05/02/2024 às 12:24

Casal investigado por desvio de R$ 3 milhões é preso pela Polícia Civil, em Trindade

Entre os itens de luxo, foram encontradas jóias, automóveis, e jetski. A polícia também encontrou dez armas de fogo e mais de duas mil munições
A prisão foi realizada no dia 30 de janeiro pela Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes. (Foto: PCGO).
A prisão foi realizada no dia 30 de janeiro pela Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes. (Foto: PCGO).

Foram presos em Trindade, um casal um casal investigado por envolvimento no desvio de, aproximadamente, R$ 3 milhões em cheques que eram subtraídos de uma empresa atacadista situada no Setor Campinas, em Goiânia, e depositados em favor dos autuados. A prisão foi realizada no dia 30 de janeiro pela Polícia Civil de Goiás, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais.

A Polícia Civil divulgou o caso neste domingo (4) explicando que a mulher, que trabalhava na empresa, mesmo estando de férias, continuou depositando, em sua conta bancária, cheques que havia furtado enquanto trabalhava. Em seguida, os valores eram distribuídos na conta de seu marido.

A fim de dificultar o controle da empresa, a funcionária se valia de suas credenciais privilegiadas do sistema informático para alterar datas e informações sobre vendas e recebimentos. Além de cheques furtados da empresa, na residência do casal, foram apreendidos diversos objetos adquiridos com o dinheiro do crime.

Entre os itens de luxo, foram encontradas jóias, automóveis, e jetski. Também foram localizadas dez armas de fogo e mais de duas mil munições, muitas em situação de total ilegalidade, razão pela qual também houve a autuação do homem pelo crime de posse ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito.

Com a prisão, a PCGO reafirma o compromisso de zelar pela preservação da ordem e segurança públicas, da incolumidade das pessoas e do patrimônio, promovendo ou participando de medidas de proteção à sociedade e às pessoas; organizar e executar, quando couber, os serviços de identificação civil e criminal.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019