22 de abril de 2024
Direitos humanos

Casa da Mulher Brasileira será implantada em todas as capitais do Brasil

Espaço conta com serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres
A Ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, participa do programa Voz do Brasil, onde fará a divulgação das informações oficiais sobre a Casa da Mulher Brasileira (Foto Fábio Rodrigues / Agência Brasil).
A Ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, participa do programa Voz do Brasil, onde fará a divulgação das informações oficiais sobre a Casa da Mulher Brasileira (Foto Fábio Rodrigues / Agência Brasil).

Até o final do atual governo, cada capital vai contar com uma unidade da Casa da Mulher Brasileira. Cidades do interior também vão receber a instituição. A informação é da ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil.

Leia também: Piry Cozinha Nordestina realiza ação para ajudar mulheres em situação de vulnerabilidade, assistidas pelo CEVAM

A entrevista completa vai ao ar a partir das 22h30 deste domingo (26).

A Casa da Mulher Brasileira é um espaço com serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres. Entre os atendimentos estão acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, Juizado, Ministério Público, Defensoria Pública, alojamento de passagem, entre outros.

“A instituição é uma marca que veio e traz segurança para a mulher em situação de violência. Ela virou uma marca real de enfrentamento à violência contra as mulheres no país, então todos os municípios, todas as mulheres a tem como referência”, destacou a ministra.

Serão 40 novas casas da Mulher Brasileira que vão se somar às sete já existentes. A iniciativa faz parte do relançamento do programa Mulher Viver sem Violência, que vai também disponibilizar 270 viaturas para a Patrulha Maria da Penha e para delegacias da Mulher, além de fazer a reestruturação da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, serviço que registra e encaminha denúncias de violência aos órgãos competentes.

Na entrevista, a ministra fala das ações do governo federal apresentadas no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Entre as 25 medidas estão o envio de um projeto de lei ao Congresso Nacional que determina a igualdade salarial, entre homens e mulheres. O projeto prevê fiscalização e multa para quem paga salário menor para mulheres.

“Nós também vamos ter, na área de educação, o relançamento do programa Mulheres Mil. Vamos, este ano ainda, [ter] 20 mil mulheres sendo qualificadas para o mercado de trabalho, prioritariamente na área de inclusão digital”, ressaltou. (Agência Brasil).

Leia também: Michelle toma posse como presidente do PL Mulher com a presença de Damares e influencers


Leia mais sobre: / / Brasil

Pollyana Cicatelli

Jornalista e assessora de imprensa com pós-graduação em Comunicação Organizacional. Responsável pela editoria de cultura / diversão e colunista de turismo no Diário de Goiás. * Contato e sugestão de pauta: [email protected]