15 de julho de 2024
Educação • atualizado em 16/06/2021 às 17:11

Carta de aluna sem acesso às aulas remotas emociona professora, que doa celular e reforço

Professora entregou cesta e celular a estudante carente em Orizona. (Foto: Divulgação)
Professora entregou cesta e celular a estudante carente em Orizona. (Foto: Divulgação)

Um ato de solidariedade de uma professora chamou atenção em Orizona. Sandra Oliveira, que dá aulas na Escola Municipal Francelino Nunes de Paula, presenteou uma aluna com um telefone celular e internet para que ela possa acompanhar as aulas remotas.

A estudante presenteada é Ana Luísa, que tem 14 anos e cursa o 4º ano do ensino fundamental. Ela chegou recentemente da Bahia e, sem acesso à rede, não vinha conseguindo acompanhar as aulas.

Numa carta enviada à professora no Dia das Mães, Ana Luísa relatou as dificuldades que tinha para aprender sem ter o auxílio de um docente. A estudante conta ainda que os tios, com quem mora em Orizona, não sabem ler e, por isso, não conseguem ajudá-la. Ao pedir o celular, ela escreve: Meajuda ser alquem na vida pro” (sic).

Comovida pela carta, enviada junto com as atividades quinzenais da escola, Sandra pediu apoio a empresários e lideranças da cidade. “Me emocionei muito. Não é uma carta que nós professores costumamos receber. Era um pedido de ajuda mesmo. Entrei em contato com alguns parceiros para conseguir esse celular”, contou a professora ao DG.

Na escola, as aulas virtuais estão ocorrendo via WhatsApp. Por isso, Ana Luísa também ganhou acesso à internet, que está sendo instalado na casa dela ainda nesta quarta-feira (16). “A partir desta semana ela começa a acessar as nossas aulas”, destacou Sandra.

Carta enviada por Ana Luísa a Sandra. (Divulgação)

A doação arrecadada pela professora, além do aparelho celular e da internet, incluiu uma cesta básica com vários alimentos e também itens de higiene. Ana Luísa também ganhou seis meses de aulas presenciais de reforço de uma instituição privada.

No momento da entrega, a emoção tomou conta de todos. “Foi um momento de impacto, inclusive para mim, que estava muito ansiosa para fazer essa visita. Até brinco que estava me sentindo como o Gugu levando as doações. Ela ficou impactada. A família muito emocionada. A emoção da tia era visível. Conseguimos levar muita coisa de comida, higiene pessoal. A gente fica feliz com essa visão da família da importância da educação”, relatou.

Sandra diz ainda que o acesso à internet é apenas o primeiro passo para o crescimento acadêmico de Ana Luísa. “O processo não para agora. Foi apenas o início. A gente precisa consolidar mais parcerias para tentar dar mais suporte para essa família, essa adolescente”, ressalta.

Situação comum

A Escola Municipal Francelino Nunes de Paula atende vários estudantes da zona rural de Orizona. Desse modo, segundo a professora, casos como os de Ana Luísa são comuns nesse período de pandemia.

“A nossa realidade é muito difícil. Muitos dos nossos alunos são da zona rural e não têm acesso. O acúmulo de atividades é muito grande. Como a Ana Luísa, há muitos”, pontua.

Nesse cenário, Sandra enxerga uma defasagem cada vez maior em muitos estudantes. Além disso, ela relata que a diferença entre os que têm acesso às aulas remotas e os que não têm é cada vez maior.

“É gritante a diferença do nível de aprendizagem de quem não tem acesso para os demais. Quem não tem acesso fica muito defasado. Quando retornarmos, a heterogeneidade será grande”, destaca.


Leia mais sobre: / / Destaque / Educação