26 de junho de 2022
Insatisfação

Caminhoneiros preparam assembleia para discutir paralisação nacional

Inflação galopante e reajustes desenfreados no preço dos combustíveis podem levar caminhoneiros a aderirem paralisação
(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Representantes de associações e sindicatos ligados aos caminhoneiros vão se reunir no próximo dia 11 de junho, em São Paulo, para deliberar uma possível paralisação da categoria. Na pauta do encontro, está a revolta dos trabalhadores que vivem reajustes desenfreados nos combustíveis que desencadeia uma série de outros aumentos, impulsionando a inflação. 

A assembleia será nacional e o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas (Sinditac), Vantuir José Rodrigues estará presente. “Nós vamos discutir sobre o problema que o país está atravessando em relação a esse  aumento dos combustíveis desenfreado, o caminhoneiro que tem o piso mínimo que foi conquistado aí com muita briga, com muita luta e os embarcadores aí não estão respeitando, e vamos tratar também do PPI, que está afetando não só o caminhoneiro, mas também a sociedade”, pontua ao Diário de Goiás.

“Nós mandamos o petróleo bruto daqui para exportar pro exterior e vendemos ele a real e depois nós compramos o produto legalizado é em dólar e quem está pagando é eu, é você e toda a sociedade. Isso aí é inadmissível”, desabafa. 

Continua após a publicidade

As chances de uma paralisação acontecer a nível nacional são altas mas não deve acontecer antes que os caminhoneiros deliberem algo. Vantuir também diz que há chances de diálogo com o presidente da República, Jair Bolsonaro numa tentativa de resposta às demandas por parte do governo federal. “Ele [Jair Bolsonaro] está mandando acompanhar o caminhoneiro e está preocupado. Nós vamos nos reunir e tomar uma decisão. E nesse encontro lá vai estar, além de sindicato de transportadoras autônomas do país, vai ter outros sindicatos também que interessam estar junto com a categoria”, ponderou.