21 de julho de 2024
Expediente • atualizado em 04/01/2024 às 09:33

Câmara de Goiânia terá sessão extra nesta sexta (5), durante recesso parlamentar

Conforme o regimento interno, as sessões extraordinárias devem ser convocadas com 72 horas corridas de antecedência e pauta de votações previamente definida
A reabertura oficial dos trabalhos da legislatura será em 5 de fevereiro, com a primeira sessão ordinária marcada para o dia 6 de fevereiro. (Foto: Reprodução/Câmara Municipal de Goiânia).
A reabertura oficial dos trabalhos da legislatura será em 5 de fevereiro, com a primeira sessão ordinária marcada para o dia 6 de fevereiro. (Foto: Reprodução/Câmara Municipal de Goiânia).

Nesta quarta-feira (3), a Câmara de Goiânia entrou em recesso legislativo. Em portaria assinada na última terça-feira (2), o presidente da Câmara, o vereador Romário Policarpo (PRD), fixou o recesso para o período entre 3 de janeiro e 3 de fevereiro. Porém, o Poder Legislativo já tem agenda para a realização de sessão extraordinária antes do retorno das reuniões ordinárias.

Nesta sexta-feira (5) está marcada a sessão extraordinária para apreciação, em segunda e última votação, do projeto de lei que estabelece ajuda de custo e promove revisão geral da remuneração para os músicos da Orquestra Sinfônica de Goiânia (OSGO). Conforme o regimento interno da Câmara de Goiânia, as sessões extraordinárias devem ser convocadas pela Mesa Diretora com 72 horas corridas de antecedência e pauta de votações previamente definida.

A reabertura oficial dos trabalhos da legislatura será em 5 de fevereiro, com a primeira sessão ordinária marcada para o dia 6 de fevereiro, conforme a portaria. Durante o recesso legislativo, o expediente administrativo será das 7h às 13h.

Última votação

A sessão extraordinária agendada para esta sexta-feira (5) prevê, além da revisão da remuneração, uma ajuda de custo mensal no valor de R$ 1.800, de natureza indenizatória, que será concedida aos músicos da OSGO para o pagamento de despesas relacionadas à manutenção de instrumentos musicais, locomoção e vestuário.

“A proposta surgiu durante reunião com o Sindigoiânia (Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia), quando definimos a criação da ajuda de custo, para que esses profissionais já pudessem ter, pelo menos, a manutenção dos seus instrumentos. Fico feliz e adianto que este é apenas o começo das mudanças que a OSGO virá a ter”, afirma Policarpo.

Atualmente a orquestra é composta por 75 músicos instrumentistas e coro profissional de 44 músicos cantores, além dos grupos formativos que trabalham no aperfeiçoamento das habilidades técnicas de estudantes de música e de programas educacionais direcionados a crianças e adolescentes da rede pública de ensino da cidade de Goiânia.

A Câmara afirma que a sessão extra será realizada por meio de autocovocacão pelo Poder Legislativo, portanto sem custo adicional para o município. O projeto que beneficia a Orquestra Sinfônica de Goiânia foi aprovado em primeiro turno pelo plenário em 28 de dezembro, antes do início do recesso legislativo.


Leia mais sobre: / / / / Goiânia

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019