09 de agosto de 2022
Flexibilização • atualizado em 15/03/2022 às 12:28

Câmara aprova desobrigação do uso de máscaras em Aparecida de Goiânia

Depois da sanção do prefeito Gustavo Mendanha, equipamento não será mais obrigatório em ambientes abertos ou fechados na segunda maior cidade do estado
Câmara de Aparecida de Goiânia em sessão que desobrigou máscara. (Foto: Marcelo Silva)
Câmara de Aparecida de Goiânia em sessão que desobrigou máscara. (Foto: Marcelo Silva)

A Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia aprovou na manhã desta terça-feira (15) um projeto que revoga a lei que obrigava a utilização de máscaras faciais na cidade. Com isso, os aparecidenses não mais precisarão utilizar o equipamento de proteção, seja em ambientes abertos ou fechados, logo que o texto for sancionado pelo prefeito Gustavo Mendanha.

O projeto revoga dispositivo criado em 2020, que tornava a máscara obrigatória em quaisquer ambientes na cidade.

A prefeitura informou que durante a tarde haverá uma reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 que poderá desobrigar o uso de máscara em locais abertos. Por ora, deverá ser mantida a obrigatoriedade para ambientes fechados.

Continua após a publicidade

Segundo a prefeitura, Aparecida de Goiânia tem apenas 277 casos ativos de covid-19, todos monitorados via telemedicina. Dos 83 leitos de UTI para covid-19, 27 estão ocupados, com 32,53% de ocupação, e 14, dos 94 leitos de enfermaria, encontram-se com pacientes, o que corresponde à taxa de 14,89%.

Aparecida de Goiânia é outra cidade que deve ir além da nota técnica da Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO), que recomendou a liberação em ambientes abertos para cidades cuja cobertura vacinal atingiu, pelo menos, 75% da população elegível para receber o imunizante.

Entre as cidades goianas que já desobrigaram o uso da máscara em ambientes fechados e abertos estão Anápolis, Rio Quente e Caldas Novas. Em Goiânia, o equipamento segue obrigatório até mesmo em locais abertos, uma vez que é necessário aval da Câmara para desobrigação.

Continua após a publicidade