13 de junho de 2024
TRAGÉDIA NO SUL

Caiado envia tropas estaduais de segurança pública ao Rio Grande do Sul

Um total de 59 agentes se voluntariaram para dar segurança à população e nos presídios; saques e roubos estão entre os problemas durante catástrofe que já desalojou quase 600 mil
Governador conversa com policiais antes deles seguirem para Rio Grande do Sul - Foto: Diário de Goiás
Governador conversa com policiais antes deles seguirem para Rio Grande do Sul - Foto: Diário de Goiás

O governador Ronaldo Caiado lançou nesta sexta-feira (17) a “Operação Brasil é um Só” para envio de policiais goianos para reforçar a segurança pública às comunidades afetadas pelas graves enchentes que atingem o Rio Grande do Sul. Além do Corpo de Bombeiros que já atuava, a operação aumentará para 94 os agentes goianos que se apresentaram para dar segurança durante a ajuda humanitária emergencial aos gaúchos.

Dessa vez, os escalados são equipes dos batalhões de Choque, Operações Especiais, Ambiental e Rotam, além do Comando de Operações de Divisa e da Polícia Penal. Os policiais vão com caminhões e equipamentos próprios, um ônibus e duas viaturas para transporte de presos.

“Não esperamos ser chamados”, diz Caiado ao enviar policiais goianos

Além disso, enfatizou o governador, eles levam consigo um mapeamento logístico para ter uma atuação precisa. “Não estamos esperando ser chamados. Independente do momento, temos que oferecer o mais rápido possível, contribuir o mais rápido possível”.

Caiado propõe a criação de uma rede de mobilização e auxílio ao “estado irmão”. Em suas palavras, “Goiás sempre teve gestos de solidariedade”. O governador, citou então, as ajudas durante os desastres de Brumadinho e Mariana em Minas, mas depois enfatizou a gravidade do que está ocorrendo no estado gaúcho. “É algo jamais visto essa catástrofe sobre o Rio Grande do Sul. Já temos 21 bombeiros especializados em desastres ambientais com cães trabalhando lá”, pontuou.

Ele deixou claro que as equipes vão trabalhar na segurança da população e citou saques a residências e até roubo de donativos que estão sendo enviados. “Além da catástrofe climática, vem uma leva de pessoas praticando crimes, é inimaginável”, lamentou.

Agentes vão equipados

O chefe do Estado-Maior da PM, Coronel Câmara, explicou ao Diário de Goiás que os agentes estão levando oito viaturas, três lanchas, dois caminhões com colchões e alimentos, além dos armamentos.

“Todos estão preparados para atuar nas suas modalidades: operações especiais, operações de divisas, rotam, choque e ambiental preparada para atuação nas áreas ribeirinhas”, exemplificou. De acordo com ele, houve grande gama de policiais se voluntariando para esse serviço. Os goianos vão para Porto Alegre e depois serão distribuídos em missões.

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Coronel Renato Brum, explicou que o combustível será por conta da Secretária Estadual do Rio Grande do Sul. As diárias dos agentes serão pagas pelo governo goiano.

Segundo ele, houve acerto sobre essa ajuda entre os comandos das PMs de Goiás e do RS mediante os saques, furtos e roubos que estão agravando a situação já dramática da população gaúcha. “O patrulhamento será por terra e água, inclusive à noite”, observou.

Os agentes goianos vão ficar até dia 31, com possibilidade de remanejamento de tropa, acrescentou o secretário.

Segundo o diretor-geral de Administração Penitenciária, Josimar Pires, os servidores da Polícia Penal seguirão na próxima semana para o RS. Eles vão atuar nas unidades do sistema penitenciário gaúcho. Com o alagamento de presídios, houve transferência de presos e existe receio de rebeliões em algumas unidades. Os doze agentes prisionais vão atuar no interior das unidades, na segurança externa e em escoltas.

Números da tragédia

Até quinta-feira (16) o balanço era de que as enchentes no estado deixaram 151 mortos, 104 desaparecidos e 2,2 milhões de pessoas afetadas, sendo 615,3 mil desalojados e desabrigados. Pelo menos 460 municípios gaúchos de um total de 497 foram atingidos pelos fortes temporais.


Leia mais sobre: / / / / Geral / Notícias do Estado

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.