29 de maio de 2024
TRAGÉDIA • atualizado em 06/04/2024 às 14:51

Buscas pela menina Samylla Victoria continuam em Aparecida de Goiânia

Equipes continuam buscas e fazendo varreduras por terra, ar e água para localizar a criança que foi levada pela enxurrada na quinta
Corpo de Bombeiros faz buscas áreas, por terra e na água - Foto: reprodução / Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros faz buscas áreas, por terra e na água - Foto: reprodução / Corpo de Bombeiros

Equipes do Corpo de Bombeiros e voluntários continuam as buscas pela menina Samylla Victoria, de 6 anos, neste sábado (6) . Ela foi arrastada pela enxurrada no final da tarde de quinta-feira (4) no encontro das Ruas Santa Cruz com a Avenida Contorno, no setor Cidade Livre, em Aparecida de Goiânia.

Os bombeiros têm realizado sobrevoos de helicóptero percorrendo os canais de água da região que fazem ligação com o córrego Lages. Ainda pelo ar, drones também estão sendo utilizados pela corporação. Por terra, bombeiros com cães farejadores e voluntários também persistem procurando sinais da menina.

Pela água, mergulhadores estão participando das buscas. As equipes, inclusive, estão percorrendo as matas próximas.

Mochila e sapato foram encontrados durante as buscas pela menina Samylla Victoria

Na sexta-feira, a mochila escolar que Samila levava na hora em que foi carregada pela forte enxurrada foi encontrada. Também um calçado que ela usava foi localizado e reconhecido pelos familiares. Os pais, familiares e amigos têm acompanhado as buscas no local, em clima de muita comoção.

A busca pela criança tem emocionado os moradores da região e de outras localidades. Samylla estava voltando da escola com a mãe quando foram surpreendidas pela forte correnteza. A mãe ainda conseguiu se equilibrar e saiu correndo atrás da criança, gritando por socorro, como mostra vídeo dramático do momento, exibido por portal G1. Populares que tentaram ajudar não conseguiram ver para onde Samylla foi carregada.


Leia mais sobre: / / Aparecida de Goiânia

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.