09 de agosto de 2022
Perigo

Brincadeira de empinar pipa foi responsável pela queda de energia de 90 mil clientes em 2021, diz Enel

Além da falta de energia, quando a segurança não é levada em consideração, a brincadeira de empinar pipa pode provocar acidentes graves
Somente no ano passado foram registradas cerca de 900 ocorrências de pipa na rede elétrica. (Foto: Divulgação / Enel)
Somente no ano passado foram registradas cerca de 900 ocorrências de pipa na rede elétrica. (Foto: Divulgação / Enel)

Uma brincadeira que atravessa gerações, empinar pipa tem causado transtornos nas redes elétricas afetando o fornecimento de energia de muitas famílias. É o que aponta os dados da Enel Distribuição Goiás que, somente no ano passado cerca de 900 ocorrências de pipa na rede elétrica resultaram na interrupção do fornecimento de energia para aproximadamente 90 mil clientes em todo Estado.

A Enel alerta ainda que, além da falta de energia, quando a segurança não é levada em consideração, a brincadeira de empinar pipa pode provocar acidentes graves.

Cidades do Entorno como Luziânia, Planaltina, Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Águas Lindas de Goiás e Cidade Ocidental lideram a o ranking com a maior incidência de pipas na rede elétrica: 24,5%. Goiânia também aparece no ranking, responsável por 23% das ocorrências; Rio Verde (15,6%); Aparecida de Goiânia (6,6%) e Anápolis (4,5%).

Continua após a publicidade

Em época de féris escolar, empinar pipa se torna uma das atividades mais executadas por pais e filhos. E para garantir que a brincadeira ocorra de forma saudável e com segurança, a Enel Distribuição Goiás compartilha 10 dicas. Confira:

Dicas:

1) Nunca tente recuperar itens que estejam pendurados na rede elétrica. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho, que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede;

Continua após a publicidade

2) Soltar pipas perto da rede elétrica é extremamente perigoso, sob risco da linha ou da pipa enroscar nos fios, ocasionando descarga elétrica. O mais indicado é empinar pipas em espaços abertos e afastados das fiações, como parques e campos de futebol;

3) Materiais metálicos, como o alumínio, não devem ser usados na fabricação da pipa, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, com risco de morte;

4) Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;

5) Não é indicado soltar pipas na chuva ou em dias com raios. Ela funciona como pára-raios, conduzindo energia e podendo provocar acidentes;

6) Caso a pipa enrosque em postes ou antenas, oriente os praticantes a não arremessar objetos nos fios e não tentar resgatá-los;

7) O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: corta os fios de alumínio ou de cobre, o que pode levar a choques por rompimentos de cabos;

8) O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores;

9) É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira;

10) Ao empinar pipa, tenha cuidado com o fluxo de ciclistas e motociclistas no local. Em alta velocidade, as linhas podem não ser vistas e, com isso, causar graves acidentes, sobretudo se tiverem cerol ou linha chilena.

Leia também: