20 de maio de 2024
Botulismo

Brasileira contrai bactéria, fica paralisada nos Estados Unidos e conta já ultrapassa R$ 1 milhão

A família dela criou uma vaquinha para conseguir arcar com os custos, inclusive o do transporte para voltar ao Brasil
Claudia de Albuquerque Celada, de 23 anos, contraiu uma bactéria rara e desenvolveu botulismo nos EUA. (Foto: reprodução/redes sociais)
Claudia de Albuquerque Celada, de 23 anos, contraiu uma bactéria rara e desenvolveu botulismo nos EUA. (Foto: reprodução/redes sociais)

Durante sua estadia em Aspen, no Colorado, Estados Unidos, a brasileira Claudia de Albuquerque Celada, de 23 anos, contraiu uma rara bactéria que desencadeou o botulismo, uma doença neurológica grave. De acordo com sua família, a jovem já está internada há mais de 55 dias. Enquanto isso, eles que são residentes de São Caetano do Sul, interior de São Paulo, estão promovendo uma vaquinha para trazê-la de volta ao Brasil para continuar o tratamento, porém o transporte por UTI aérea é estimado em US$ 200 mil, aproximadamente R$1 milhão.

Para auxiliar nos custos médicos e de transporte, a família lançou uma campanha de arrecadação. Além das despesas com a transferência, há incerteza quanto ao valor total do tratamento nos EUA, estimado em cerca de R$ 2 milhões. Embora o seguro saúde de Claudia tenha coberto parte das despesas, esgotou-se devido aos limites de cobertura.

A irmã de Claudia, Luísa Albuquerque, relatou em um vídeo nas redes sociais que os sintomas surgiram rapidamente, com a paralisia completa ocorrendo pouco tempo depois, levando à internação de urgência no Swedish Medical Center, em Denver, após sua transferência de Aspen. Embora o diagnóstico de botulismo tenha sido confirmado 15 dias após o início dos sintomas, a fonte da infecção ainda é desconhecida.

Após quase dois meses de internação nos EUA, com custos diários de cerca de 10 mil dólares, a família busca recursos para custear a UTI aérea, que inclui equipamentos essenciais e uma equipe médica especializada para garantir sua segurança durante o transporte.


Leia mais sobre: / / / Mundo

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.