18 de abril de 2024
Empresas e Negócios

Brasil sobe 16 posições em ranking que avalia facilidade de fazer negócios

As empresas multinacionais treinam 50% a mais do que as empresas nacionais e o setor público é o que menos treina os funcionários. (Foto: Divulgação/Educa Mais)
As empresas multinacionais treinam 50% a mais do que as empresas nacionais e o setor público é o que menos treina os funcionários. (Foto: Divulgação/Educa Mais)

Reformas feitas pelo Brasil no ano passado fizeram com que o país avançasse mais de 15 posições, saindo do 125º e chegando ao 109º lugar, em ranking do Banco Mundial que avalia a facilidade de fazer negócios em 190 países. 

De acordo com o banco, pela primeira vez em 16 anos, desde que o relatório Doing Business começou a ser publicado, o Brasil fez seu maior número de reformas e superou todos os países da América Latina neste aspecto. 

Quatro reformas são citadas como essenciais para o avanço: introdução de certificados digitais para importação, aprimoramento do acesso ao crédito, criação de sistema online para facilitar abertura de empresas e adoção de sistema eletrônico para gestão do fornecimento de energia. 

Essas reformas ajudam eliminar obstáculos para o empreendedorismo, fator importante para reduzir a pobreza, afirmou o diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser. “O Brasil deixou claro o seu compromisso em melhorar o ambiente de negócios para as pequenas e médias empresas.”

Outros países da América Latina e Caribe também apresentaram um histórico notável de reformas como Bahamas, El Salvador, Paraguai e Peru, com duas reformas cada. 

Apesar de melhorar o ambiente para os negócios, o Brasil ainda está atrás de outros países desta região, como México (54ª posição), Colômbia (65ª posição) e Costa Rica (67ª posição). (Folhapress) 

{nomultithumb}


Leia mais sobre: / / / / / Empresas e Negócios