13 de junho de 2024
Alerta de Saúde • atualizado em 03/06/2024 às 15:59

Brasil ocupa o primeiro lugar no ranking mundial de dengue; 6,3 milhões de casos prováveis

A OMS já contabiliza mais de 7,6 milhões de casos prováveis de dengue em todo o mundo; atrás do Brasil estão outros três países da América do Sul
Brasil é o país com mais casos de dengue registrados no mundo, em 2024. Foto: Reprodução
Brasil é o país com mais casos de dengue registrados no mundo, em 2024. Foto: Reprodução

No ranking mundial de dengue, o Brasil ocupa o primeiro lugar em número de casos prováveis da doença. Atualmente, 90 países registraram transmissão ativa, sendo que, no Brasil, o número de casos suspeitos já atingiu quase 6,3 milhões, sendo mais de 3 milhões confirmados em laboratório. Este é o maior número notificações contabilizados no mundo, em 2024.

Atrás do Brasil estão ainda três países da América do Sul: Argentina, com 420 mil casos prováveis; Paraguai, com 257 mil casos prováveis; e Peru, com quase 200 mil casos prováveis. Conforme os dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), em todo o mundo, somente este ano, já foram registrados um total de 7,6 milhões de casos prováveis de dengue, sendo destes 3,4 milhões confirmados em laboratório.

A entidade destacou que houve um aumento acentuado na região das Américas. “O número de casos ultrapassou 7 milhões no final de abril, ultrapassando os 4,6 milhões de casos registrados em todo o ano de 2023”, apontou a OMS.

Além disso, os dados apontam que todos os quatro sorotipos de dengue foram detectados nas Américas. Pelo menos seis países da região – Brasil, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México e Panamá – já reportaram casos de circulação simultânea de todos os quatro sorotipos, de acordo com a OMS.

A OMS recomenda que os países com altos índices de transmissão forneçam vacina contra a dengue à população com idade entre 6 a 16 anos. No Brasil, a vacina está sendo aplicada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde fevereiro deste ano, no entanto, devido a pouca quantidade de doses da Qdenga disponíveis, a campanha nacional abrange apenas público de crianças e adolescentes de 10 a 16 anos de idade.

Com informações da Agência Brasil


Leia mais sobre: / / / Brasil

Luana Cardoso

Luana

Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024. Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa.