22 de maio de 2024
Política

Bolsonaro cita suspeita de fraude na Bolívia e insiste em projeto de lei para auditar eleições

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

O presidente Jair Bolsonaro, em live no Facebook nesta quinta-feira (14), voltou a abordar o desejo de aprovar uma lei que possibilite a auditoria das eleições.

Segundo o presidente, o caso da Bolívia, em que há suspeitas sobre fraudes no pleito havia reeleito Evo Morales, acende o sinal de alerta e deixa uma mensagem para que o país tenha como se precaver de situações assim.

“Temos a obrigação de ter um sistema de votação confiável para as eleições. Para o ano que vem, não dá mais, mas a partir de 2022, sim. Vamos lutar para evitar um problema como o que houve na Bolívia”, disse.

Bolsonaro revelou que já conversa com parlamentares para que um projeto de lei avance no Congresso no próximo ano. A proposta deve contemplar a possibilidade de auditar todo o pleito, conforme explicou o presidente.

“Devemos, tenho falado com alguns líderes e vou potencializar isso, votar um projeto de lei para que você possa auditar uma eleição. Se você votou no João, você tem certeza que seu voto foi para o João. Se votei na Maria, o voto foi para a Maria. Não podemos ter essa suspeita de fraude, como foi na Bolívia. É um problema que pode acontecer de um lado ou de outro”, afirmou.

Para justificar a posição, Bolsonaro colocou em descrédito o próprio pleito que o elegeu. Ele sugeriu que margem da vitória sobre o petista Fernando Haddad teria sido muito maior do que aquilo que as urnas apontaram no segundo turno do ano passado.

“Todos diziam que eu tinha tudo para ganhar as eleições. No final, foi 55% para mim e 45% para o outro candidato. Muita gente achou que a diferença foi muito maior. Como nosso lado ganhou e nas ruas todo mundo tinha essa convicção, não houve problema. Mas imagina se outro lado ganha a eleição. Como iríamos auditar esses votos? Não tinha como”, pontuou.


Leia mais sobre: / / / Política