16 de agosto de 2022
Encontro • atualizado em 25/07/2022 às 16:20

Bolsonaro a mulheres: Arma ajuda a defendê-la se aparecer algum ‘engraçadinho’

Em tentativa de aproximação do eleitorado feminino, Bolsonaro almoçou com grupo de mulheres empresárias e executivas, em São Paulo
Com alta rejeição entre as eleitoras mulheres, Bolsonaro tenta agora estratégias para se reaproximar do público feminino. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Com alta rejeição entre as eleitoras mulheres, Bolsonaro tenta agora estratégias para se reaproximar do público feminino. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em aceno às mulheres, eleitorado em que enfrenta alta rejeição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) citou políticas adotadas na sua gestão em defesa a este público. O chefe do Executivo mencionou, por exemplo, a política de armas, que ganhou força durante o seu governo.

“Às vezes viajando sozinha uma arma ajuda a defendê-la se aparecer algum engraçadinho”, disse Bolsonaro durante almoço organizado por mulheres em São Paulo. “O meu governo é o governo que mais encarcerou machão”, continuou.

Bolsonaro também falou sobre políticas voltadas à titulação de terras e o auxílio emergencial, que, segundo ele, beneficiaram justamente as mulheres. “Elas são essenciais, eu não consigo viver sem uma. A última palavra sempre é a de vocês”, continuou em elogios às convidadas presentes. A rejeição entre o eleitorado feminino preocupa a campanha do chefe do Executivo.

Continua após a publicidade

Marcos Pontes

Durante o evento, Bolsonaro exaltou a escolha do astronauta Marcos Pontes (PL) dois dias após ser confirmado como pré-candidato ao Senado por São Paulo. “Depois de muita luta conseguimos a candidatura dele ao Senado”, afirmou.

O pré-candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (PL) anunciou no sábado, 23, que Pontes concorreria ao Senado em sua chapa. Além do astronauta, a deputada federal Carla Zambelli (PL) e a deputada estadual Janaina Paschoal (PRTB) também pleiteavam a vaga. O empresário Paulo Skaf (Republicanos) corria por fora e era defendido ao posto por membros do PSD, partido que fechou acordo com Tarcísio no Estado.

Continua após a publicidade

Sem dar declarações à imprensa, Bolsonaro deixou o almoço com empresárias e executivas com qual tenta quebrar rejeições no eleitorado feminino, onde ficou pouco mais de duas horas no encontro. Antes, chegou a participar de um fórum do agronegócio

Esteve acompanhado do ministro da Economia, Paulo Guedes, do ex-ministro Tarcísio Gomes de Freitas, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo Republicanos, e do astronauta Marcos Ponte, pré-candidato ao Senado por São Paulo pelo PL, além da deputada federal Carla Zambelli (PL-SP).

Neste domingo, 24, a candidatura do presidente à reeleição foi oficializada pelo PL. Após cumprir agenda na capital paulista, Bolsonaro retorna agora a Brasília.(Por Giordanna Neves e Eduardo Laguna/Estadão Conteúdo)