23 de julho de 2024
Levante dos manés • atualizado em 07/01/2023 às 16:21

Bolsonaristas convocam atos em Brasília para ‘tomada de poder’

Organizadores já começam a se reunir em Brasília neste sábado (7) e prometem ficar por tempo indeterminado
Homem discursa convidando bolsonaristas ao ato em Brasília (Foto: Reprodução/WhatsApp)
Homem discursa convidando bolsonaristas ao ato em Brasília (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Extremistas que apoiam o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) prometem ir à Brasília neste final de semana em mais um ato que contesta o resultado das eleições de outubro. Nos grupos bolsonaristas de aplicativos como WhatsApp e Telegram fala-se em ‘tomada de poder pelo povo’ entre os dias 7 e 8 de janeiro, no Congresso Nacional.

Outro card compartilhado nos grupos convocava os bolsonaristas para o “Levante dos Manés” que começaria neste sábado (7) e não teria ‘data para terminar’. A mensagem fazia referência a frase que o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso disse a um manifestante quando esteve em Nova Iorque.

Card que está sendo compartilhado em grupos bolsonaristas

Nos grupos de Whatsapp de Goiânia, já há a movimentação para a ida a Brasília, no sentido de organizar caronas em carros particulares e até vans. Eles também tentam conquistar a adesão dos caminhoneiros para dar força aos atos.

Em vídeo compartilhado nestes grupos, um homem pede para que os ‘patriotas’ do ‘Brasil e do mundo’ se dirijam a Brasília neste sábado (7). “O recado é: venha para o QG de Brasília e depois, não é agora, nós vamos pegar aquilo que sempre foi nosso. Vamos continuar aqui. Viralizem esse vídeo”, conclamou.

O presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas de Goiás (Sinditac-GO), Vantuir Rodrigues, ao Diário de Goiás disse que não há motivos para caminhoneiros autônomos participarem de atos. “Os caminhoneiros que por ventura estejam participando estão à serviço de produtores do agro que não estão satisfeitos com o resultado das eleições”, explicou.

Ele disse que assim como outras lideranças de caminhoneiros, ele esteve em Brasília, durante os trabalhos de transição recebido pelo vice-presidente Geraldo Alckmin e por Aloizio Mercadante apresentando demandas que já haviam sido solicitadas ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Queremos a revisão da tabela do frete e melhores condições para renovação da nossa frota. Acesso a crédito que as empresas têm, por exemplo. Fomos bem recebidos e o diálogo até o momento tem sido melhor do que a gestão anterior”, destaca Vantuir.

Rodrigues explica que como em qualquer outro setor há muitos bolsonaristas entre os caminhoneiros. “É claro que existem pessoas que apoiam o ex-presidente. Eu diria que não chega a 30%”, pontuou. “Mas os que ficam nesse discurso golpista não são autonomos. São caminhoneiros ligadas a empresas do agro que insistem em não aceitar o resultado das eleições. Trabalhador autônomo está na rua fazendo transporte de carga”, pontua.

Ministro da Justiça fala sobre de guerra promovida por ‘impatriotas’

O ministro da Justiça, Flávio Dino (PCdoB-MA), disse que já conversou com o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), onde as orientações foram ‘repassadas’. Ele citou uma possível guerra promovida entre ‘impatriotas’.

Ele também mencionou que conversou com diretores da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal para definir ‘providências’ em casos de atos antidemocráticos que possam configurar ‘crimes federais’. Veja a sequência das publicações:


Leia mais sobre: / / / / Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.