12 de agosto de 2022
Novidades eleitorais • atualizado em 20/07/2022 às 18:57

“Boletim na mão”: Aplicativo pode ajudar eleitor a auditar resultado das eleições

Assim que o pleito for finalizado às 17 horas, tanto os partidos como os eleitores poderão acessar o aplicativo para checar a quantidade de votos da urna eletrônica desejada
O juiz-membro Vicente Lopes da Rocha Júnior abordou as atualizações na legislação eleitoral para o corrente pleito e explicou a novidade (Foto: Divulgação/TRE-GO)
O juiz-membro Vicente Lopes da Rocha Júnior abordou as atualizações na legislação eleitoral para o corrente pleito e explicou a novidade (Foto: Divulgação/TRE-GO)

Em meio a novos ataques em torno do processo eleitoral e o voto eletrônico, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) disponibilizou uma nova ferramenta para o pleito atual. É o aplicativo “Boletim na mão”, que poderá ajudar o eleitor a fazer a própria apuração e auditagem dos votos após o dia das eleições, tanto no primeiro como no segundo turno. A novidade foi detalhada nesta terça-feira (20/07) durante coletiva com a imprensa realizada na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO), em Goiânia.

O juiz-membro Vicente Lopes da Rocha Júnior abordou as atualizações na legislação eleitoral para o corrente pleito e explicou a novidade. “Com esse aplicativo, ao final da eleição, a urna eletrônica emite um boletim de urna com o quantitativo de votos para cada candidato. Para presidente, governador, deputado federal, estadual. Esse boletim de urna tem um QR code”, explicou. Assim que o pleito for finalizado às 17 horas, tanto os partidos como os eleitores poderão acessar o aplicativo para checar a quantidade de votos da urna eletrônica desejada.

LEIA TAMBÉM: Agentes da ABIN também rebatem Bolsonaro sobre fraude nas urnas eletrônicas

Continua após a publicidade

De modo que qualquer grupo ou indivíduo poderá realizar suas respectivas auditorias. “É possível que as entidades da sociedade civil se organizem para fazer essa apuração. Isso pode ser feito e essa checagem pode ser feita no mesmo dia no site do TSE que tem o número da urna e o número do boletim e você checa se realmente o quantitativo de votos foi o mesmo enviado para o TSE para aquela urna”, pontuou.

Ele ressaltou que apesar do aplicativo estar sendo disponibilizado para a população geral agora, o seu método estatístico já não é uma novidade. Ele relembrou o pleito municipal anterior, quando houve um atraso na divulgação do resultado junto ao site do Tribunal Superior Eleitoral, mas com a auditagem que os partidos faziam, puderam antecipar o resultado. 

“Em 2020, o TSE atrasou por uma questão técnica a divulgação e resultado e muitos prefeitos já comemoravam suas eleições porque eles já fazem essa auditagem. Isso serve como uma demonstração em relação a segurança do sistema eletrônico e a possibilidade de auditagem do voto”, salientou.

Continua após a publicidade

Como funciona?

O voto eletrônico é reconhecido por ser um instrumento de fortalecimento da democracia brasileira, uma vez que, depois de adotado, as fraudes nas eleições desapareceram. Com a urna eletrônica, novas formas de auditagem, mais modernas e seguras, foram introduzidas no processo eleitoral. Mas, apesar de toda a tecnologia envolvida em um pleito, a eleitora ou o eleitor que quiser um comprovante físico, em papel, do resultado da votação de sua seção eleitoral pode obtê-lo por meio do Boletim de Urna (BU).

O BU é um relatório em papel emitido pela urna eletrônica ao final do pleito. Esse documento permite que fiscais de partidos e qualquer outra pessoa possam conferir imediatamente após o encerramento da eleição o quantitativo de votos existentes em todas as urnas. É com esse comprovante, emitido e publicado no final do pleito em cada seção eleitoral, que se pode conferir os resultados, inclusive comparando com o que é divulgado pela Justiça Eleitoral na internet.

O Boletim de Urna traz as seguintes informações relativas aos dados registrados na urna eletrônica: total de votos por partido; total de votos por candidato; total de votos nominais; total de votos de legenda, quando for cargo proporcional; total de votos nulos e em branco; total de votos apurados; eleitorado apto para votar na seção; identificação da seção e da zona eleitoral; hora do encerramento da eleição; código interno da urna eletrônica; e a sequência de caracteres para a validação do boletim.