18 de julho de 2024
CARNAVAL 2024 • atualizado em 04/02/2024 às 10:28

Bloco alega falta de espaço e planejamento e Ara Ketu não se apresenta na Avenida Mutirão

Empresário do bloco explicou pelas redes sociais que foi imprevisto, “falta de planejamento da prefeitura” e que não faltou esforço da banda
Público lotou Avenida Mutirão para ver trios no pré-carnaval; só Ara Ketu não se apresentou - Foto: divulgação / Carnaval dos Amigos
Público lotou Avenida Mutirão para ver trios no pré-carnaval; só Ara Ketu não se apresentou - Foto: divulgação / Carnaval dos Amigos

O público que lotou a avenida Mutirão na noite de sábado (3) no pré-carnaval, que tinha parte paga, para os blocos do Carnaval dos Amigos, e parte gratuita para os “pipoqueiros”, não pode assistir à apresentação do Grupo Ara Ketu. Junto com Durval Lelys, o trio elétrico do grupo era a principal atração da festa na Mutirão.

Em seu Instagram, Thiago Carrijo, um dos empresários do bloco Uai, pelo qual o Ara Ketu se apresentou este ano na cidade, lamentou o ocorrido. Sem detalhar onde o bloco parou, ele justificou que faltou “estrutura” para a chegada no local da principal apresentação.

Pessoas que participaram do evento informaram que o trio não conseguiu passar da avenida 136, onde foi a concentração do bloco Uai, para a Avenida 85, por falta de espaço nas avenidas no trajeto até a Mutirão.

Esforço e frustração

Carrijo fala que houve grande esforço da equipe para driblar árvores, semáforos, postes e fiações, mas sem êxito. “Todos sabemos que planejamos por muito tempo essa festa para ser entregue de corpo e alma para vocês. Imprevistos acontecem e hoje não foi diferente, aconteceu conosco”, disse, em tom de frustração. Mais adiante ele completa: “Talvez por uma falta de planejamento da prefeitura”, sobre o fato de não chegar no local da apresentação.

Em outra postagem ele continua justificando e lamentando, além de agradecer aos que aderiram ao bloco. “Fizemos tudo para entregar [o show], mas sabemos que Goiânia ainda não está preparada para receber um evento dessa magnitude”.

Por volta das 22 horas o público já estranhava que não havia sinais da passagem do trio elétrico do grupo, já que o término do evento estava programado para 23 horas.

Falta de informação para o público

Uma foliã que preferiu não se identificar lamentou que foi até a Mutirão exclusivamente para assistir ao show do Ara Ketu. Ela relata que aguardou ansiosa e, mesmo quando caiu uma chuva fraca, ficou firme, se divertindo com os amigos, mas na expectativa de informações sobre a aproximação do trio. “Só que ninguém informou nada para o público”, reclamou. Segundo ela, por volta das 23 horas grande parte das pessoas já tinha ido embora.

Ambulantes lamentam prejuízo

Vendedores ambulantes que apostaram que a atração estenderia a presença pelas ruas e assim o lucro com as vendas, também ficaram bastante frustrados. “A gente faz tanto sacrifício para depois ir embora com a caixa de isopor cheia”, afirmava a jovem Lila Silva do Nascimento.

Entre os vendedores oficiais, a frustração e o cansaço também eram visíveis. Uma delas relatou que os trabalhadores foram convocados para chegada no local às 11h com expectativa de iniciar vendas às 15h, mas o público somente chegou com a passagem dos blocos, por volta das 17h. Eles receberiam comissões pelas vendas e por isso também ficaram decepcionados com a falta do Ara Ketu e de informações sobre a não realização do show.

Neste domingo (3), a reportagem buscou a versão da prefeitura por meio da Secretaria de Cultura sobre a queixa de Carrijo sobre falta de planejamento, mas ainda não teve retorno de mensagem enviada para a assessoria.

Mais tarde foi informado que a competência era da Agência Municipal de Meio Ambiente e Secretaria Municipal de Mobilidade, os quais estão sendo acionados. Assim que houver o posicionamento e também a divulgação de público, por parte da equipe do Carnaval dos Amigos, esta publicação será atualizada.

Festa segura

O esquema organizado na Avenida Mutirão para a passagem dos trios e dos pipoqueiros foi bastante organizado. O público passava por revista no acesso público. Havia banheiros químicos em quantidade suficiente e bastante policiamento no local. Poucas brigas foram registradas, todas na área dos blocos, onde a maior parte da segurança era privada do evento.


Leia mais sobre: / / / Goiânia

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.