25 de julho de 2024
Alerta • atualizado em 10/11/2023 às 10:11

Black Friday: Procon repassa orientações para consumidor evitar golpes; confira as dicas

O 'esquenta' pode ser uma oportunidade para o cliente já economizar, mas também pode torná-lo vítima de golpes.
Especialista afirma que nas lojas estrangeiras não se aplica o Código de Defesa do Consumidor. (Foto: Divulgação).
Especialista afirma que nas lojas estrangeiras não se aplica o Código de Defesa do Consumidor. (Foto: Divulgação).

A Black Friday é realizada anualmente no dia 24 de novembro. Porém, até lá muitas marcas buscam sair na frente e antecipam as promoções. O ‘esquenta’ pode ser uma oportunidade para o cliente já economizar, mas também pode torná-lo vítima de golpes neste período. Para evitar, o Procon Goiás divulga algumas orientações.

Levy Rafael Cornélio, superintendente do órgão explica que para evitar as falsas promoções é preciso se programar com antecedência e pesquisar os preços. A dica é conferir tamanho, modelo e preço do produto e comparar com outros vários antes de tomar a decisão.

A superintendencia do Procon reforça que a Lei Estadual 19.607/2017, ampara os clientes antes da escolha. A lei exige que os fornecedores informem ao consumidor o histórico dos preços dos últimos 12 meses. A relação deve ser fixada junto aos produtos e ser de fácil visualização pelos consumidores.

Levy também alerta sobre o perigo de se endividar nesse período. “Ponha as contas em uma planilha e lembre-se que, no início do ano, há uma série de despesas que pesam no bolso, como a matrícula escolar, compra do material escolar, pagamento de impostos etc”, pontua.

Compras em sites

Segundo pesquisa produzida pela empresa de análise de comportamento do consumidor Nielsen|Ebit, em parceria com a Bexspay, 80% dos brasileiros pretendem fazer compras on-line no período. Neste caso a orientação é ter muita atenção nas compras on-line e evitar sites estrangeiros.

Evite comprar nas lojas que não são brasileiras, porque nelas não se aplica o Código de Defesa do Consumidor (CDC). O CDC se aplica para empresas que comercializam no Brasil

superintendente Levy Rafael

Um outro alerta é referente ao pagamento. Quando optar pelo PIX, confira os dados do destinatário e se a negociação envolve um CNPJ. Também fique atento em relação aos boletos. A Serasa possui cinco dicas para que o consumidor possa identificar quando se trata de boleto falso.

Por fim, Levy conta que é preciso desconfiar dos produtos com valores muito baixos. “Isso pode ser um atrativo para que você caia num golpe. Isso pode ser um gatilho para que você caia num golpe. Não existe almoço grátis”, alerta.

Dicas da Federação Brasileira de Bancos

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) também realizou uma série de alertas para o período que costuma ter alta de fraudes. Para isso, a federação divulgou um guia com os principais cuidados para evitar golpes. Confira:

  • Prefira comprar em sites conhecidos e sempre verifique a reputação deles em sites de reclamação, como o Reclame Aqui;
  • Nunca compre em computadores públicos ou de estranhos, nem informe neles seus dados bancários;
  • Verifique cuidadosamente as formas de pagamentos oferecidas no site e desconfie quando forem poucas;
  • Leia a política de trocas e devolução das lojas;
  • Se o preço anunciado for muito mais baixo do que a média, desconfie, pois os criminosos utilizam o entusiasmo com ofertas como isca;
  • Não preencha formulários com dados pessoais para acessar supostas promoções de Black Friday;
  • Desconfie de páginas do Instagram e em outras redes sociais criadas muito recentemente. Checar se o perfil é verificado e se tem um número de seguidores e comentários compatíveis com o
    tamanho da marca pode ajudar;
  • Prefira utilizar cartões virtuais para compras online;
  • Acione o serviço de avisos por SMS ou similares para os bancos avisarem instantaneamente sobre transações realizadas;
  • Em compras presenciais, confira o valor na maquininha de cartão antes de inseri-lo ou aproximá-lo;
  • Sempre insira você mesmo o cartão;
  • Nos pagamentos por Pix, pague somente no ambiente da loja virtual e confira se os dados do pagamento são mesmo da loja;
  • Nas compras com boleto, confira se a empresa beneficiária é a que aparece no momento do pagamento;
  • Ao buscar pela loja no Google, verifique no endereço do site acessado se aquele é o nome da loja — criminosos podem utilizar pequenas variações e patrocinar links falsos;
  • Cuidado com links de supostas promoções enviados por email, se não estiver cadastrado para receber ofertas daquela empresa;
  • Atente-se ao remetente do email. Grandes empresas não utilizam endereços como @gmail, @hotmail ou @terra e entidades públicas usam @gov.br ou @org.br.

Leia mais sobre: / / / Economia / Notícias do Estado

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019