17 de abril de 2024
Financiamento • atualizado em 02/06/2023 às 17:11

Belém receberá R$ 5 bi do BNDES para preparação para a COP30, em 2025

Parte dos R$ 5 bilhões será concedida dentro da linha de crédito de R$ 30 bilhões que o banco voltou a destinar a estados e municípios
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai conceder a Belém do Pará R$ 5 bilhões para a preparação da cidade para a 30ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 30). Belém será a sede do evento mundial, que vai acontecer em novembro de 2025.

Conforme o governador do Pará, Helder Barbalho, parte dos R$ 5 bilhões será concedida dentro da linha de crédito de R$ 30 bilhões que o banco voltou a destinar a estados e municípios. O benefício havia sido suspenso em 2018.

De acordo com o presidente do BNDES, Aloízio Mercadante, o acionamento da linha de crédito é uma estratégia de planejamento. “Não menos que R$ 3 bilhões seriam financiamento, porque o estado tem capacidade de endividamento, a prefeitura também, e nós vamos acionar essa linha”, informou Mercadante.

O presidente explicou que o Estado vai receber ainda outras linhas de créditos para projetos relacionados a energia renovável, por exemplo, como a renovação da frota de ônibus. A frota de Belém é uma das mais antigas do país, com cerca de 12 a 14 anos de existência. “Se nós não migrarmos para ônibus elétrico, vamos perder essa presença na região”, pontuo Aloízio.

Em relação a outras linhas de crédito, uma parte menor dos recursos virá também do Fundo Amazônia, em projetos de redução do desmatamento. “Por exemplo, a linha de bioeconomia. Essa é uma área de interesse estratégico. Você não sustentará o fim do desmatamento se não desenvolver uma economia alternativa que gere valor agregado à floresta em pé, à floresta viva”, acrescentou Mercadante.

Por fim, ainda há a alternativa de acionar o Fundo Clima. Para o presidente do BNDES, “caberia muito bem nessa conversão da cidade e do Estado em ser carbono neutro”. Com efeito, Pará é, atualmente, o Estado brasileiro que mais reduz emissões de carbono na atmosfera, pontuou o presidente.

Com informações da Agência Brasil


Leia mais sobre: / / Política

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.