27 de maio de 2024
Acidente aéreo

Avião cai e mata mais de 60 pessoas no Nepal

Este é o acidente mais letal dos últimos 30 anos no país, desde 1992, quando um Airbus A300 da Pakistan International Airlines caiu matando 167 pessoa
Pelo menos 68 pessoas morreram na queda de avião no Nepal. (Foto: Reprodução - vídeos / Redes sociais)
Pelo menos 68 pessoas morreram na queda de avião no Nepal. (Foto: Reprodução - vídeos / Redes sociais)

Um avião bimotor caiu neste domingo (15) e matou mais de 60 pessoas no Oeste de Pokhara, no Nepal, segundo a autoridade de aviação civil do país. Informações é que o voo tinha 72 pessoas a bordo e havia decolado de Katmandu, capital do país.

Um porta-voz das forças armadas do Nepal informou que 44 corpos já foram retirados do local do acidente, ainda sem uma confirmação, rumores é que foram pelo menos 68 vítimas.

De acordo com o banco de dados da Aviation Safety Network, este é o acidente mais letal dos últimos 30 anos no país, desde 1992, quando um Airbus A300 da Pakistan International Airlines caiu em uma encosta ao se aproximar de Katmandu, matando 167 pessoa e em 2018, quando no mês de março do mesmo ano, um voo turboélice US-Bangla Dash 8 de Dhaka caiu ao pousar em Katmandu, matando 51 das 71 pessoas a bordo, de acordo com a Aviation Safety Network.

A aeronave que caiu neste domingo, é uma ATR 72, operada pela empresa de voos domésticos Yeti Airlines. Um representante da companhia aérea informou que dentre os ocupantes estão duas crianças, quatro tripulantes e 15 estrangeiros.

O avião levava, além de 57 nepaleses, incluindo duas crianças, cinco indianos, quatro russos, um irlandês, dois sul-coreanos, um australiano, um francês e um argentino, segundo autoridades do aeroporto de onde decolou a aeronave. Além de quatro tripulantes também estavam no voo.

Desde o ano de 2000, pelo menos 309 pessoas morreram em acidentes de avião ou helicóptero no Nepal, país onde se localiza oito das 14 montanhas mais altas do mundo, incluindo o Everest, inclusive lugar onde mudanças climáticas repentina podem condições perigosas.


Leia mais sobre: / / / Mundo

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.