16 de julho de 2024
Rio Grande do Sul

Auxílio Reconstrução, disponibilizado no RS, não foi acessado por todos os atingidos

A falta de acesso ao recurso se deu em função de erro no cadastro, não envio de dados ou falta de informação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Disponibilizado pelo governo federal para as famílias atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul, o auxílio reconstrução, no valor de R$ 5,1 mil, não foi acessado por todos os beneficiados no município. As informações são da Agência Brasil, que disse que a falta de acesso ao recurso se deu em função de erro no cadastro, não envio de dados ou falta de informação.

Os municípios têm até esta terça-feira (25) para enviar os dados dos atingidos com direito ao auxílio. Ao todo, 182 prefeituras com famílias atingidas ainda não haviam enviado as informações.

O secretário de planejamento de Eldorado do Sul (RS), Josimar Cardoso, contou que 13 mil residências do municípios foram danificadas e 10 mil pessoas já receberam o recurso. “Temos outras 1,3 mil pessoas já habilitadas e 17 mil em análise com possíveis fraudes de endereços. Por isso fica em análise”, explicou.

Nesta segunda-feira (24), a prefeitura de São Leopoldo manifestou preocupação com a baixa procura. “Até domingo (23), menos da metade das pessoas com cadastro reprovado por erros na hora do preenchimento haviam procurado o serviço especial criado para correção e reenvio dos dados”, afirmou, em nota.

Os critérios que podem impedir uma pessoa de receber o recurso são: endereço fora da mancha georreferenciada; endereço não confirmado nas bases do governo; mais de uma família no mesmo endereço; família com membros comuns já com auxílio; família com membro em outra família habilitada; família que pediu auxílio em mais de um município; CPF não regular; menor de 16 anos; e indício de óbito nas bases do governo, segundo informou a assessoria do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Equipes do governo federal vão percorrer nesta semana 30 municípios gaúchos selecionados em que há suspeita de que famílias atingidas não estejam nas áreas consideradas pelas bases de dados da União.

Cadastro

O cadastro ao auxílio deve ser feito pelas prefeituras dos municípios gaúchos, na página do Auxílio Reconstrução. Após a análise, o responsável familiar confirma informações no mesmo site. O depósito em conta é feito pela Caixa. No entanto, as administrações explicam que muitas informações estão erradas ou duplicadas, ou outra pessoa da mesma família já recebeu o recurso. Os dados precisam ser confirmados pelos moradores.

Dificuldades enfrentadas

A reportagem da Agência Brasil entrou em contato com atingidos, por meio de um grupo de aplicativo de mensagens de atingidos, que apontaram a espera pelo auxílio como uma das principais dificuldades enfrentadas. “Eu fiz meu cadastro dia 22, enviaram dia 29 e tem gente que fez depois e já recebeu”, disse um dos membros do grupo. “Pois é. Eu conheço uma pessoa que fez dia 05/06 e já ganhou, o meu está desde o dia 28/05 e até agora nada”, reclamou outro integrante.

Há, ainda, casos de pessoas que não acessam o sistema por falta de informação. O trabalhador autônomo Salomão Bernardo dos Santos, de 37 anos, vive em um abrigo de Roca Sales desde a enchente de maio, mas não consegue acessar o auxílio. “Tu tem um celular na mão e tu não entende. Para minha mãe é complicado também. A gente não consegue se inscrever. Eles falam para entrar no site, mas a gente não consegue”, lamentou.


Leia mais sobre: / / Brasil