16 de julho de 2024
Marco • atualizado em 17/06/2024 às 15:19

Autoridades enaltecem inauguração do Hospital de Águas Lindas de Goiás

Com licitação realizada em 2005, a obra demorou quase 20 anos para ser concretizada e hoje representa, de acordo com políticos goianos, um marco para o Estado
De acordo com Caiado, sua grande obra de governo é “cuidar das pessoas, salvar as vidas e ter respeito com os cidadãos”. (Foto: Altair Tavares/Diário de Goiás)
De acordo com Caiado, sua grande obra de governo é “cuidar das pessoas, salvar as vidas e ter respeito com os cidadãos”. (Foto: Altair Tavares/Diário de Goiás)

O Governo de Goiás inaugurou, na manhã desta segunda-feira (17), o Hospital Estadual de Águas Lindas, situado no Entorno do Distrito Federal. Além do governador Ronaldo Caiado (UB), a abertura da unidade de saúde contou com a presença da ministra da Saúde, Nívia Trindade, do vice-governador Daniel Vilela (MDB), do prefeito do município, Dr. Lucas Antonietti (UB), do secretário de Saúde do Estado, Rasível dos Santos, deputados federais e estaduais, dentre outros políticos, que enalteceram a ação.

Isso porque a conclusão da obra encerra, conforme o Executivo estadual, um período de espera de quase 20 anos. “Aqui, a população vai ter um hospital com toda a aparelhagem necessária, mas além disso, um hospital humanizado, onde o médico sabe que está lidando com vidas”, frisou o governador, em discurso na abertura da unidade de saúde. De acordo com Caiado, sua grande obra de governo é “cuidar das pessoas, salvar as vidas e ter respeito com os cidadãos”.

O prefeito de Águas Lindas, Dr, Lucas Antonietti demonstrou o sentimento de gratidão pela entrega da obra, considerada um marco para a região. “Como médico, eu me emociono, porque esse hospital ultrapassa a política”, enfatizou, com a afirmativa de este ser um dos dias mais felizes de sua vida. “Os goianos foram abençoados por Deus por ter você (Caiado) como o nosso governador”, acrescentou Antonietti, que ressaltou ainda que o Estado de Goiás ficou pequeno para o gestor. “O Brasil precisa conhecer a forma de governar de Ronaldo Caiado”, salientou.

Daniel Vilela, por sua vez, destacou o cumprimento de um compromisso do Governo de Goiás, voltado à sociedade. De acordo com o vice-governador, a conclusão da obra veio para “recuperar o atraso dos governos anteriores”, que, segundo ele, só visitavam a região nas vésperas das eleições. 

“Chegaram até a fazer show para inaugurar hospital fantasma, sem nenhum profissional médico lá dentro”, relatou Daniel Vilela. “O governador faz questão hoje de inaugurar essa obra, sem artistas. Poderia até ter trazido algum show. Mas o que ele fez questão foi de inaugurar esse hospital com profissionais médicos lá dentro, já trabalhando, e as pessoas bem atendidas”, celebrou o vice-governador.

Deputado federal goiano, Rubens Otoni (PT) evidenciou a parceria do Governo do Estado para a realização da ação, na qual considera como grandiosa. “Eu sou testemunha de toda essa trajetória, até porque vossa excelência (Ronaldo Caiado) participou conosco, como deputado federal, e desde 2005 nós vimos as idas e vindas dessa obra. Então, isso aqui é uma grande vitória. A vitória de poder concretizar um sonho para atender não apenas um município, mas toda uma região, toda uma população, e uma referência no Estado de Goiás”, pontuou, com a afirmativa de que “as políticas que vão além das diferenças partidárias, voltadas ao atendimento à sociedade”.

Já o secretário de Saúde de Goiás, Rasivel dos Santos, fez duras críticas aos maus gestores da saúde. Isso porque a obra do hospital foi licitada em 2005 e somente em 2021, após quase 20 anos, foi retomada pelo Governo de Goiás. “Maus políticos fazem mal para a sociedade e incompetência mata”, disse.

Confira na íntegra a transmissão da cerimônia de inauguração do hospital:

O hospital

De acordo com o Governo do Estado, o Hospital Estadual de Águas Lindas entra em operação com quase o dobro do tamanho originalmente concebido. Terá 16 mil metros quadrados de área construída, divididos em 18 blocos, 164 leitos, incluindo uma maternidade e 40 leitos de unidade de terapia intensiva.  

A unidade vai beneficiar cerca de 1,2 milhão de moradores de 31 municípios da macrorregião Nordeste de Goiás. O hospital também vai oferecer exames de tomografia, ressonância magnética, raio-X, ultrassom e bancos de sangue e leite. A entrega da unidade será feita de forma gradual, em três etapas. A previsão é de que, até o final de agosto de 2024, já esteja em pleno funcionamento.

O secretário da Saúde explica que fez um cálculo para estimar o número de atendimentos que seriam realizados no hospital em um período de 15 anos. “Aqui serão em torno de 6.500 internações por ano 660 cirurgias por ano e em torno de 180 partos por mês. Isso significa que em 15 anos a gente poderia ter internado 100 mil pessoas, a gente poderia ter 32 mil partos e 10 mil cirurgias”, frisou.

Primeiro atendimento

O primeiro paciente da unidade, deu entrada no hospital neste domingo (16). O agricultor Valentino da Rocha Ribeiro, de 69 anos, estava internado no Hospital Municipal Dom Luiz Fernandes, em Santo Antônio do Descoberto, desde o dia 6 de junho, e aguardava transferência para tratamento de pneumonia.

“Chegou aqui usando oxigênio há quatro dias e já está sendo bem tratado”, celebrou Rasivel. A ambulância chegou por volta das 13 horas e o paciente foi imediatamente levado ao leito, onde foi avaliado pelos profissionais do novo hospital estadual. Ainda na tarde do último domingo, outros três pacientes deram entrada no Heal, trazidos de ambulância de municípios próximos a Águas Lindas.

Trajetória

O projeto de construção do Hospital de Águas Lindas se iniciou, de fato, com uma licitação realizada em 2005 e seria custeado por um convênio realizado entre o Estado de Goiás e o município de Águas Lindas. As obras começaram em 2007, mas em 2008, por questionamentos do Ministério Público, foram paralisadas e uma nova licitação foi realizada em 2009.

Em 2013, por decisão do Ministério da Saúde, o projeto foi transferido para a gestão estadual, mas mesmo assim continuou emperrado, pouco avançando até 2018, quando foi novamente paralisado por acúmulo de dívidas.

De acordo com o Governo do Estado, a entrega consolida um planejamento iniciado em 2019, de levar saúde pública a todas as regiões goianas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES).


Leia mais sobre: / / Cidades / Política