21 de maio de 2022
Cidades

Aumento na conta de energia chega a quase 43% nos primeiro trimestre do ano

Com o último reajuste tarifário na conta de energia elétrica, nos três primeiros meses do ano, o aumento já chega a 42, 83%. Só na última fatura foi repassado pela Celg um acréscimo de 27,7%. Ainda para este ano, no mês de setembro, está previsto o reajuste anual.

As contas neste mês apresentaram além do aumento de custo, aumento de consumo. Segundo a Celg D, a justificativa é que o governo federal não subsidia mais a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e o custo para geração de energia também subiu, por houve o repasse.

Continua após a publicidade

Em reportagem do jornal O Popular, a superintendente de economia da Celg D, Eliana Adati Senji, afirmou que a revisão da tarifa é por força do contrato de concessão e por eventos que elevam os custos das distribuidoras.

Já o especialista em energia elétrica Augusto Fleury explica que energia cara é realidade, já que encarece ainda mais a geração de energia recorrer às usinas térmicas. Ele ainda compara o momento atual, ao vivido em 2001, quando os consumidores também tiveram de criar maneiras de contornar a crise energética. 

Leia mais sobre:
Cidades