21 de maio de 2022
Cidades • atualizado em 12/02/2020 às 23:46

Assassinados prefeito e primeira dama de Matrinchã

Foram assassinados na madrugada desta terça-feira (4) o prefeito de Matrinchã, Daniel Antônio de Sousa (PTB), e sua esposa, Elizeth Bruno. A investigação do caso passou para a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Goiânia, sob responsabilidade do delegado Kleber Leandro Toledo Rodrigues. 

LEIA TAMBÉM: Para polícia, assassinato de prefeito em GO pode ter motivação política

Continua após a publicidade

Segundo informações, o duplo homicídio aconteceu na chácara de propriedade do casal que fica a aproximadamente dez quilômetros de distância da cidade.

De acordo com o delegado, funcionários da Prefeitura que encontraram o Daniel Antônio e a primeira dama mortos. “Eles estavam esperando o prefeito para uma reunião e ele não chegava nunca. Então, foram atrás dele e encontraram os dois mortos na chácara”, informou Kleber Leandro.

Os primeiros passos da Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO) foram encontrar as pessoas que acharam o prefeito e Elizeth Bruno. Estes e outros funcionários da Prefeitura de Matrinchã foram ouvidos. 

Continua após a publicidade

KLEBER LEANDRO TOLEDO RODRIGUESSegundo o delegado, ambos possuíam lesões provocadas por arma branca. No entanto, a primeira dama possuía um ferimento na cabeça que a PC-GO ainda não soube identificar se foi por arma branca ou arma de fogo. 

“Temos que esperar o laudo do IML [Instituto Médico Legal], que sai em dez dias, dependendo da complexidade, para saber”, disse Kleber. 

 

“A população inteira deve estar chorando”, diz diretor da Rádio Matrinchã

O prefeito Daniel Antonio (PTB) estava enferntando dificuldades na adminsitração da cidade, no primeiro semetres de 2015 foi constituida uma CPI para investigar os atos dele. O prefeito enfrentava um clima complicado com no legislativo da cidade que é formado, quase que em sua totalidade, por vereadores de oposição a ele. 

Seugundo diretor geral da Radio Matrinchã, Leo Machado, mesmo com a orientação do departameto juridico para que fosse impetrado um mandato de segurança contra a investigação o prefeito não quis pois não tinha nada a temer. 

Leo Machado classificou o prefeito da cidade como um “irmão, um parceiro”, visivelmente abalado eles destacou que não existem suspeitas sobre quem poderia ter praticado esse clime barbaro. Daniel Antonio e sua esposa Elizeth Bruno foram mortos na chacará da família na madrugada de hoje.

O direto da rádio afirmou que a adminsitração do prefeito era bem avaliada pela população. 

 

Nota de pesar PTB Goiás:

Foi com grande tristeza que o diretório estadual do PTB de Goiás recebeu a notícia sobre as mortes brutais do prefeito de Matrinchã, Daniel Antônio de Souza, e de sua esposa, Elizeth Bruno de Bastos, assassinados na madrugada de hoje, na própria moradia. Daniel Antônio era um líder respeitável no nosso partido e batalhou pelo desenvolvimento do município.

Além de demonstrar-se um grande parceiro, ele também era um grande amigo de todos. Lamentamos profundamente este fato e esperamos que este crime seja esclarecido o quanto antes pelas investigações, na certeza de que a justiça vai prevalecer. 

Diretório Estadual PTB Goiás

 

Em nota AGM lamenta morte de prefeito:

Luto no municipalismo goiano. O prefeito de Matrinchã, Daniel Antonio de Sousa, e a primeira dama do município, Elizete Bruno de Bastos, foram assassinados na noite passada. O duplo homicídio aconteceu na chácara de propriedade do casal que fica a cerca de 10 quilômetros de distância da cidade.

A Polícia Militar está no local aguardando a chegada de uma equipe da Polícia Científica, que se desloca da Cidade de Goiás, para efetuar a perícia e a remoção dos corpos.

Não se sabe a autoria dos crimes, nem mesmo a motivação. Segundo alguns amigos do casal o prefeito e a primeira dama foram vistos pela última vez por volta das 23 horas da noite passada na cidade.

A Associação Goiana de Municípios (AGM), enlutada, lamenta o fato e confia na competência da polícia para que os crimes sejam elucidados e os autores punidos.

O presidente da AGM, Cleudes Bernardes Baré, tomou conhecimento da notícia quando viajava para Brasília onde cumpriria uma agenda junto a Confederação Nacional de Municípios e retornou imediatamente à Goiânia para acompanhar de perto o desenrolar dos fatos.

Assessoria de Comunicação da AGM

 

Leia mais sobre:
Cidades