27 de maio de 2022
Política • atualizado em 28/01/2022 às 17:28

Às vésperas de assumir prefeitura de Aparecida, Vilmar Mariano diz estar preparado e manterá secretariado

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Com a pré-candidatura de Gustavo Mendanha cada vez mais próxima, o vice-prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (Podemos), se prepara para assumir a gestão da cidade a partir de abril. Com mais da metade do mandato a cumprir, o ex-emedebista assume que está preparado para o desafio que bate às portas.

“Eu confesso que ainda me dá um pouco de medo, não é fácil, sai da Câmara Municipal, fui presidente da Câmara por dois mandatos, mas é um universo completamente diferente, mas o Gustavo tem uma equipe muito estruturada e escolhida a dedo e essa equipe vai me dar sustentabilidade que eu preciso para continuar o grande trabalho que o Gustavo tem feito em Aparecida”, destacou Mariano em entrevista nesta terça-feira (25/01), à Rádio Bandeirantes Goiânia.

Mariano assumiu o comando temporário do Podemos no final da semana passada prometendo colocar o partido na oposição. Até então, o presidente estadual da legenda, José Nelto fazia sustentação no apoio ao governador Ronaldo Caiado (DEM). Vilmar crê que os técnicos da prefeitura que Mendanha escolheu, darão total suporte para continuar o mandato, agora, como prefeito. “Aparecida é gigante, mas eu também tenho pessoas gigantes que podem me ajudar a construir o sonho do Maguito e do Mendanha que é de fazer de Aparecida de Goiânia a melhor cidade para se viver do paí” ,ponderou.

Continua após a publicidade

Se Mendanha vai seguir seus caminhos e se filiar ao Podemos, Mariano não crava, mas sustenta que o partido irá apoiar sua pré-candidatura ao Palácio das Esmeraldas. “Gustavo Mendanha está num momento de decisão. Ele ainda não confidenciou qual caminho vai tomar. O Podemos está de portas abertas. O PL, também. Até em outros partidos… O Gustavo tem feito um trabalho não só em Aparecida como em outras cidades construindo um bloco de oposição ao governo Caiado”.