24 de julho de 2024
ACEITAÇÃO MAIOR

Aprovação de Lula entre evangélicos sobe e desaprovação cai, mostra Genial/Quest

Presidente da República passou a contar com maior aprovação e menor desaprovação entre os evangélicos; católicos também seguiram a tendência
Lula melhora aprovação entre evangélicos, aponta Genial Quest Foto Ricardo Stuckert PR
Lula melhora aprovação entre evangélicos, aponta Genial Quest Foto Ricardo Stuckert PR

Entre os eleitores evangélicos cresceu de fevereiro para cá a aprovação ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), assim como caiu a desaprovação. É o que aponta pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (10). Entre os católicos também houve esse resultado com percentuais diferentes.

No caso dos evangélicos, que em sua maioria caminharam com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), a aprovação a Lula passou de 35% em fevereiro, para 39% em maio e agora para 42%. Já a desaprovação foi de 62% em fevereiro, para 58% em maio e agora 52%. Uma aproximação com os evangélicos tem sido preocupação do governo.

Entre os católicos, a aprovação foi de 58% em fevereiro e maio para 60% agora. Já a desaprovação a Lula, foi de 39% em fevereiro para 40% em maio, caindo para 37% agora.

A pesquisa mostrou também que, exceto pela região Sul, a aprovação do presidente cresceu alguns pontos percentuais em todas as regiões do Brasil. Da mesma forma, a desaprovação a Lula caiu em todas, menos no Sul.

Aumento na aprovação e queda na desaprovação foi obtido pelo presidente em todas as faixas de ensino e também nas três faixas etárias: 16 a 34 anos, 34 a 59 e 60 anos ou mais.

Confira mais resultados da pesquisa:

Eleitores bolsonaristas concordam com críticas de Lula a Campos Neto e política de juros do BC

Com 54%, Lula tem maior aprovação do ano, chegando a 69% entre os que ganham até 2 mínimos


Leia mais sobre: / / Brasil / Política

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.