25 de maio de 2022
Política

Aprovação da data-base evita paralisação na Sefaz

Dia intenso na Assembleia Legislativa. Parlamentares estiveram em sessão extraordinária até às 19 horas desta terça-feira (24) com intuito de agilizar votações de projetos e evitar nova greve no Estado. O Sindicato dos Servidores do Fisco de Goiás (Sindifisco) anunciou nesta semana que haveria paralisação na Secretaria Estadual da Fazenda, caso o Projeto de Lei da Data-base para os servidores públicos não fosse votado. A primeira aprovação em plenário evitou paralisação, mas o sindicato dará continuidade à mobilizações na Assembleia até sanção definitiva.

A proposta, que visa garantir a recomposição salarial dos servidores públicos estaduais, deverá voltar à plenário amanhã, assim como o projeto que abriga as reivindicações dos policiais militares do Estado, que estão acampados no pátio da Assembleia Legislativa desde segunda-feira (23).

O líder do governo, deputado Helder Valim (PSDB), garantiu ter promovido o diálogo entre os parlamentares membros das comissões mistas visando aceleração das votações. Um dos projetos que devem estar em pauta nesta semana é o de nº 670/12 da Governadoria. Ele concede revisão geral anual da remuneração, subsídios e proventos do pessoal civil e militar, ativo, inativo e pensionista, inclusive empregados públicos do Poder Executivo, referente aos anos de 2011 e 2012.

Continua após a publicidade

Presidente do Conselho Fiscal da Associação de Cabos e Soldados, Sérgio Goiano disse que as principais reivindicações da categoria são aprovação da data-base, atrasada há cinco anos, e reajuste da pensão do césio 137, que, segundo ele, há quatro anos continua a mesma.

O militar fez questão de frisar que o acumulado da data-base em atraso está hoje em 32% e que a pensão do césio 137, que chegou a ser de dois salários mínimos, hoje está em 545 reais, não atingindo o valor equivalente a um salário.

Leia mais sobre:
Política