18 de agosto de 2022
Destaque 2 • atualizado em 12/01/2021 às 09:49

Apresentador que criticou o isolamento social em BH morre de covid-19

Sntanley Gusman apresentava um jornal em Minas Gerais e morreu de covid-19. Foto: reprodução/TV Jornal.
Sntanley Gusman apresentava um jornal em Minas Gerais e morreu de covid-19. Foto: reprodução/TV Jornal.

O apresentador Stanley Gusman morreu por complicações da covid-19. A morte do jornalista foi confirmada pela TV Alterosa, filial do SBT em Minas Gerais. O corpo dele foi cremado às 15h30 desta segunda-feira (11/1), em um cemitério de Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Stanley Gusman tinha 49 anos e estava internado desde o dia 4 de janeiro na UTI do Hospital Vila da Serra, em Nova Lima (MG). De acordo com a equipe médica, em esclarecimento à Alterosa, ele teve uma infecção secundária em consequência do vírus.

O diretor-presidente dos Diários Associados, Álvaro Teixeira da Costa, relatou que Minas Gerais perdeu um grande jornalista.

Continua após a publicidade

“Minas perdeu um grande jornalista. Um apresentador das classes menos favorecidas que estava sempre aberto para tentar melhorar a vida de cada um. A TV Alterosa e todo nosso grupo estão entristecidos. Perdemos um grande companheiro, uma voz de extrema importância para a nossa comunicação”, lamentou Álvaro.

O diretor-geral da TV Alterosa, Geraldo Teixeira da Costa Neto, também falou da morte do jornalista.

“Essa notícia trouxe uma profunda tristeza para todos nós, dos Associados, em especial da TV Alterosa. Perdemos um companheiro leal, amigo de todos da casa. A Covid cala uma voz eloquente. Stanley se junta aos trágicos números dessa pandemia, mas os ideais dele não serão esquecidos. Que Deus conforte sua mulher, seu filho e toda a família”, completou.

Continua após a publicidade

O apresentador era crítico do isolamento social que foi implantado pelo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). Ele chegou a rebater uma recomendação do prefeito para que nas festas de fim de ano as pessoas não visitassem os pais para evitar a disseminação da covid-19.

“Eu vou visitar meu pai, vou visitar minha mãe, e não vou matá-los. Eu acho um desrespeito o senhor falar isso em público. Se fosse assim, nós teríamos produzido, em outras circunstâncias, muitos outros problemas”, disse.

Gusman também criticava a vacina Coronavac e o Supremo Tribunal Federal (STF).

“Fico imaginado se eu tivesse que colocar uma ordem de prioridades para aplicação em pessoas com 50% de chance de dar errado… Eu priorizaria quem eu amo? Absolutamente não. Logo, os 11 urubus do STF devem sim ter prioridade nessa que o Butantan certifica com 50% de dar certo”, escreveu ele no Twitter.