17 de agosto de 2022
Levantamento • atualizado em 28/06/2022 às 17:40

Após redução do ICMS anunciado, combustível já é encontrado com preço mais em conta em Goiânia 

Gasolina, que chegou a custar R$ 8,39 neste mês, já é encontrada a R$ 6,49 em Goiânia
Após redução, gasolina é encontrada a R$ 6,49 em Goiânia (Foto: Diário de Goiás)
Após redução, gasolina é encontrada a R$ 6,49 em Goiânia (Foto: Diário de Goiás)

Depois de anunciada pelo governador Ronaldo Caiado (União Brasil-GO), a redução do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), já surtiu efeitos nos postos de combustíveis da Capital. Nesta terça-feira (27/06), a reportagem do Diário de Goiás encontrou gasolina a R$ 6,49, etanol a R$ 4,19 e diesel a R$ 7,35. Confira alguns valores destes valores: 

  • Posto T-63, esquina com Rua C159, Jardim América – Gasolina (R$ 6,49), Etanol (R$ 4,19).
  • Posto Rede T13 – Av. 4ª Radial – Gasolina (R$ 6,89), Etanol (R$ 4,49), Diesel (R$ 7,59) 
  • Posto Antônio Fidelis – Parque Amazônia: Gasolina (R$ 6,99), Etanol (R$ 4,49), Diesel (R$ 7,59)
  • Posto Shell – Av. T-63, próximo ao viaduto da 85: Gasolina (R$ 6,99), Etanol (R$ 4,49)
  • Posto Ipiranga – Av. Circular, em frente ao Terminal Isidória: Gasolina (R$ 6,99), Etanol (R$ 4,55), Diesel (R$ 7,59)
  • Posto RodOil – Rua 1044, Pedro Ludovico – Gasolina (R$ 6,99), Etanol (R$ 4,69), Diesel (R$ 7,35) 


Também nesta segunda (27/06), o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), Márcio Andrade, ressaltou, ao Diário de Goiás, o “compromisso” dos empresários do setor em repassar ao consumidor as reduções consequentes da nova alíquota do ICMS sobre os combustíveis. 

“O que a gente precisa é só aguardar os postos adquirirem com o novo preço, mais reduzido, para que isso aconteça. Eu acredito que o mercado vai reagir muito rápido e repassar o preço para o consumidor em função do momento que estamos vivendo”, afirmou Andrade. 

Continua após a publicidade

Vale lembrar que, antes da respectiva redução do imposto, a gasolina chegou a ser encontrada a R$ 8,39, e o diesel a R$ 7,99, na Capital. Os respectivos valores começaram a ser praticados após o reajuste de 14,2% para o diesel e de 5,2% para gasolina, anunciados pela Petrobras no último dia 18. 

LEIA TAMBÉM: Ministro afirma que medidas do governo farão a gasolina cair para R$5,84 (diariodegoias.com.br)

Entenda

Continua após a publicidade

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil-GO) anunciou nesta segunda-feira (27/06) que a redução do Imposto sobre Operações relativas ao ICMS sobre combustíveis terá impacto na redução de 0,85 centavos sobre a gasolina, 0,38 centavos sobre o etanol e 0,14 centavos sobre o diesel.

“Hoje você tributa a gasolina de 1 real e noventa e seis por litro. Vai se cobrar 1 real e onze centavos. Você vai ter uma redução nessa parte da cobrança dessa base de cálculo de 0,85 centavos por litro. É o que nós vamos fazer com que o ICMS passe a ser cobrado 1.11 centavos. Estávamos cobrando 1.96”, explicou durante coletiva à jornalistas no Palácio Pedro Ludovico. “O etanol 1,19, vamos cobrar 0,81 centavos. A redução foi de 0,38 centavos por litro. O diesel estava sendo cobrado em 0,80 centavos. Agora, estamos cobrando 0,66. Quatorze por cento de diferença”, ressaltou.

À ocasião, Caiado disse que a redução só foi possível graças a lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Sem ela, ele não poderia impor reduções, haja vista que correria o risco de descumprir o acordo de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). “Agora temos uma lei complementar e tendo essa lei, temos a proteção de que não perderemos os benefícios do Regime de Recuperação Fiscal. Eu como governador, não podia mexer na alíquota porque isso caracterizaria da minha parte qualquer tipo de incentivo e de benefícios sem que eu tivesse uma autorização federal ou do próprio Ministério da Economia para baixar a alíquota”, pontuou.

Caiado explicou que com a nova lei, a estimativa de redução na arrecadação é de R$ 3 bilhões em um ano. “É um valor aproximado. É uma coisa que foi feita num esforço enorme de toda a equipe”, ponderou. O democrata também pontuou que fará fazer valer a legislação ante a quaisquer contrapartidas do Governo Federal. “Eu repito a mesma frase de sempre: cabe a mim como governador do Estado cumprir a lei. Essa matéria será encaminhada ao Congresso Nacional e nós vamos avaliar qual será o texto final deste projeto. Hoje estamos tratando aquilo que foi sancionado. A partir do momento que eu tiver a lei para respaldar as ações do governo, eu o farei”, complementou.

Leia mais sobre:
Cidades