10 de agosto de 2022
Enfim! • atualizado em 06/06/2022 às 20:31

Após quase cinco anos de embate judicial, Prefeitura de Goiânia dá início às obras de restauração do asfalto do Eixão

Cronograma da Secretaria de Infraestrutura prevê reformulação do asfalto do Eixo Anhanguera em três etapas
Prefeitura começará a trabalhar em novo asfalto para o Eixão a partir desta terça-feira (07) (Foto: Domingos Ketelbey/DG/Arquivo)
Prefeitura começará a trabalhar em novo asfalto para o Eixão a partir desta terça-feira (07) (Foto: Domingos Ketelbey/DG/Arquivo)

Um embate judicial que envolvia Metrobus e a Prefeitura de Goiânia e durava quase cinco anos, finalmente chegou ao fim há quase um mês com o anúncio feito pelo prefeito Rogério Cruz (Republicanos), que a administração municipal iria assumir a responsabilidade pela manutenção do pavimento e asfalto do Eixo Anhanguera. A partir desta terça-feira (07/06), a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) vai colocar a mão na massa com o início das obras.

Assinado em maio, o termo de acordo entre a empresa estatal e a Prefeitura dispõe neste primeiro momento dos serviços de fresagem, num segundo momento, o recapeamento total da via, que deverá iniciar no ano que vem, e a manutenção regular a partir de 2024.

As obras começam pelo terminal da Praça da Bíblia, sentido Praça A, no cruzamento da Avenida Anhanguera com a Rua 208. A previsão é de que as intervenções no trecho de 300 metros sejam realizadas até sexta-feira (10/06), sem alterações nos pontos de embarque e desembarque. 

Continua após a publicidade

Não haverá desvios para outras vias ou bloqueios, porém, nos trechos em obras, os ônibus do Eixo não circularão em suas faixas exclusivas, mas na faixa da direita, junto aos demais veículos. Agentes de trânsito permanecerão no local para controle viário. 

Na ocasião da assinatura do termo, em maio, o prefeito Rogério Cruz destacou que “intervenções relacionadas à melhoria da mobilidade e do transporte coletivo na capital terão sempre o apoio da gestão”.

Desde o início das negociações, em março, com a Metrobus e Governo do Estado, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) analisa parâmetros técnicos e cronogramas de desenvolvimento das obras, uma vez que compreendem intervenções nos 28 quilômetros da via. 

Continua após a publicidade

“É uma via muito importante, extensa, com 28 quilômetros – considerando os dois sentidos, com um dos maiores sistemas de transporte de passageiros de Goiânia e Região Metropolitana. Portanto, são necessárias estratégias específicas para o cumprimento das metas”, explica o secretário de Infraestrutura de Goiânia, engenheiro Everton Schmaltz.

Para assegurar perfeita trafegabilidade no Eixo Anhanguera, que conta com um pavimento construído ainda 1976, ficou acordado entre as partes que a Seinfra executará, de junho a novembro deste ano, serviços de fresagem e recapeamento em toda a extensão do Eixo Anhanguera, entre os terminais Padre Pelágio (Jardim Fonte Nova) e Novo Mundo (Jardim Novo Mundo).

A segunda etapa acontecerá entre os meses de agosto de 2023 e julho de 2024, quando a Seinfra fará a reconstrução do pavimento em toda a extensão do Eixo Anhanguera, conforme solução técnica determinada em decisão judicial.

Permanentemente, serão realizadas manutenções rotineiras, como tapa-buracos ou outras medidas emergenciais que se fizerem necessárias para sanar riscos pontuais ao longo de todo o Eixo, independentemente do período climático, seco ou chuvoso. 

Tais serviços, que incluirão a limpeza e retirada de detritos próprios da operação, serão realizados mediante solicitação da Metrobus, que ficará responsável pelo monitoramento do pavimento, indicando à Seinfra os locais exatos das intervenções emergenciais que surgirem. “Acreditamos que, dessa maneira, será possível atender bem o cidadão e a frota de ônibus da Metrobus, que terá sempre um pavimento de boa qualidade para trafegar em segurança”, pontua o titular da Seinfra.