21 de julho de 2024
Casa nova

Após quase 20 anos de criação, Samu ganha sede própria em Goiânia

O Samu Goiânia terá sede no setor Jardim Novo Mundo, local que unificará os setores administrativo, farmácia, almoxarifado e central reguladora, para atendimento mais ágil
Atualmente, o Samu Goiânia conta com 17 viaturas, sendo 4 USA e 13 USB.Foto: Samuel Straioto
Atualmente, o Samu Goiânia conta com 17 viaturas, sendo 4 USA e 13 USB.Foto: Samuel Straioto

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), após quase 20 anos de criação, agora tem sede própria em Goiânia. Implantado em 2 de julho de 2004, o serviço que realiza os atendimentos médicos de socorro e emergência, terá um novo espaço na capital, de modo a unificar os setores administrativo, farmácia, almoxarifado e central reguladora.

A nova configuração promete facilitar o trabalho dos servidores do Samu e melhorar o tempo de resposta aos chamados. O Samu Goiânia conta com equipes que reúnem médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e condutores socorristas, funcionando 24 horas por dia por meio do telefone 192.

A sede funciona em um prédio de 290 metros quadrados localizado na Avenida Iguaçu com a Rua Cruz Alta, no Jardim Novo Mundo. O espaço, onde funcionou o antigo Juizado Especial Cível, passou por ampla reforma para abrigar a unidade, que está sendo inaugurada nesta quarta-feira (27).

No local, também vai funcionar uma base com duas viaturas, sendo uma Unidade de Suporte Básico (USB) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA) que é uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) móvel. Para manter a agilidade nos atendimentos à população, a Prefeitura de Goiânia vai manter as outras viaturas em sete locais estratégicos da cidade. Atualmente, o Samu Goiânia conta com 17 viaturas, sendo 4 USA e 13 USB.

De acordo com o secretário de Saúde, Durval Pedroso, a nova sede é de fundamental importância para agilidade do trabalho e dos atendimentos oferecidos pelos 367 servidores do Samu Goiânia. “Esse prédio permitiu a unificação dos setores administrativos, farmácia, almoxarifado e a central reguladora, departamento que recebe as ocorrências do Samu, que antes ficavam em quatro locais diferentes. Isso reflete diretamente no trabalho dos servidores e, consequentemente, na melhoria do tempo resposta no atendimento à população”, afirmou.


Leia mais sobre: / / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.