27 de fevereiro de 2024
Crimes

Após protestos bolsonaristas, governador do DF afirma que vândalos de Brasília devem ser presos

O atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e o futuro ministro, Flávio Dino, também se manifestaram sobre atos
Manifestações na capital foram contidas após três horas, mas resultou em dezenas de veículos destruídos pela cidade. (Imagem: reprodução/Twitter)
Manifestações na capital foram contidas após três horas, mas resultou em dezenas de veículos destruídos pela cidade. (Imagem: reprodução/Twitter)

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou nesta segunda-feira (12), durante protestos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL), que a ordem é para prender os vândalos que quebraram e incendiaram as dezenas de veículos pela cidade. Parte dos carros estavam estacionados em frente ao prédio da Diretoria-Geral da Polícia Federal, na Asa Norte de Brasília, quando os manifestantes tentaram invadir o local.

Os protestos, que foram dispersados cerca de três horas depois de começarem, foram considerados como atos antidemocráticos e deixaram um rastro de destruição pela capital. Grupos atearam fogo em ônibus e carros, houve a tentativa de invasão do prédio e a polícia precisou usar balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

Os bolsonaristas chegaram a revidar atirando paus e pedras em direção aos agentes. Ao menos uma pessoa ficou ferida no confronto, que teve cinco ônibus incendiados e dezenas de carros depredados. Veja alguns vídeos publicados no Twitter:

Em nota, a Polícia Militar do Distrito Federal afirmou que o protesto acontece em razão da prisão temporária do cacique José Acácio Serere Xavante, pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). O indígena teve condutas ilícitas em atos antidemocráticos pelo prazo de dez dias.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, também se manifestou e disse, pelas redes sociais, que o ministério, por meio da Polícia Federal, “manteve estreito contato com a Secretaria de Segurança Pública do DF e com o governo do Distrito Federal a fim de conter a violência e restabelecer a ordem” e que “tudo será apurado e esclarecido”.

Em outra oostagem, Torres disse que “nada justifica as cenas lamentáveis que vimos no centro de Brasília”. “A Capital Federal tradicionalmente é palco de manifestações pacíficas e ordeiras. E seguirá sendo!”. Ele agradeceu o empenho da Secretaria de Segurança Pública do DF e do governo do Distrito Federal por todo apoio à Polícia Federal.

Já o futuro ministro da Justiça, Flávio Dino, também condenou os protestos. “Inaceitáveis a depredação e a tentativa de invasão do prédio da Polícia Federal em Brasília. Ordens judiciais devem ser cumpridas pela Polícia Federal. Os que se considerarem prejudicados devem oferecer os recursos cabíveis, jamais praticar violência política”, declarou.


Leia mais sobre: / / Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.