23 de julho de 2024
Destaque • atualizado em 18/06/2021 às 08:29

Após novo confronto, Lázaro segue foragido; polícia aperta cerco em buscas que já duram dez dias

Foto: Reprodução/SSP-GO
Foto: Reprodução/SSP-GO

As buscas por Lázaro Barbosa Sousa, de 32, continuam e já duram dez dias. Nesta quinta-feira (17), novas pistas foram deixadas pelo criminoso, que trocou tiros com as forças de segurança que trabalham em força tarefa para capturar o autor de uma chacina em Ceilândia, no Distrito Federal. “Nós estamos gerenciando uma crise complexa, de um indivíduo extremamente perigoso. Temos feito de tudo para retirá-lo rapidamente, preservando as vidas dos inocentes”, destacou o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda.

Em entrevista coletiva na noite de ontem, o secretário deu detalhes a respeito do novo confronto. “Tivemos uma nova troca de tiros com ele. O nosso cão farejador farejou ele. Possivelmente ele esteja ferido. O pessoal da CPcães achou um pano ensanguentado como se fosse um torniquete. Quer dizer, pode ser até um ferimento grave”, declarou Rodney Miranda, que explicou que após a batalha, que ocorreu em um milharal, o criminoso se escondeu em um local de difícil acesso. 

“Ele desceu e foi para a mata, que é o padrão dele e a equipe de cães apoiados pelo Bope foram no encalço dele. Chegando lá embaixo, ele tentou acertar um dos cachorros. Segundo os policiais que estavam lá na ação, visualizaram ele e revidaram. Ele entrou numa vala, numa depressão, tão possivelmente na água e os policiais perderam o rastro dele ali”, detalhou. “Toda vez que ele é acuado, ele se esconde na mata, se esconde numa grota e por isso é tão difícil da gente rastrear”, ressaltou.

Rodney Miranda revelou ter recebido até mesmo uma informação de que Lázaro teria fugido e poderia estar próximo da rodovia. “Recebemos uma informação que ele teria fugido e estaria aqui em volta. A gente entende que ele já está no limite. Inclusive, quando chegou essa informação havia até a possibilidade de ele, de repente, estar querendo se entregar, mas não foi o caso”, ponderou o secretário.

Reforço

O secretário de Segurança Pública de Goiás destacou o fato de que, na última situação em que Lázaro ficou foragido da polícia, no interior da Bahia, chegou a ficar 15 dias no mato, sem alimento. No entanto, frisou que a força tarefa tem apertado o certo, diminuindo o perímetro da região onde o criminoso se encontra. Por este motivo, segundo Rodney Miranda, ele pode estar “cansado, estressado, mais descuidado e cometendo mais erros”. “Hoje foram duas aparições e um confronto”, pontuou.

Há, atualmente, cerca de 250 policiais do Estado de Goiás, Distrito Federal e Governo Federal, empenhados nas buscas pelo foragido. No entanto, para dar reforço à operação, 20 profissionais da Força Nacional serão enviados nesta sexta-feira (18) à Goiânia. “São policiais de grupos especializados de vários estados, que estavam na reserva e o secretário Anderson Torres ofereceu para vir para cá”, ponderou o secretário de Segurança Pública de Goiás. 

Despacho

Ainda durante a entrevista coletiva à imprensa na noite desta quinta-feira (17), Rodney Miranda afirmou que foi encontrado uma espécie de despacho, com o nome de Lázaro, próximo ao milharal onde houve o confronto. “Tinha um despacho com o nome dele, com uma vela dessas mais grossas, de sete dias, já queimada pela metade. A gente não sabe se foi ele que fez, mas ele estava por ali”, disse o secretário.

Entenda o caso

Lázaro Barbosa Sousa é suspeito de cometer, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), um quádruplo latrocínio em Ceilândia no DF e um quinto em Goiás, considerado de alta periculosidade. 

Conforme informações divulgadas pela polícia, Lázaro invadiu chácaras e atirou em quatro pessoas, além dos policiais, durante os dias de fuga. Antes de se esconder na região de Edilândia (GO), furtou um veículo, no último dia 13, no qual abandonou na rodovia GO-070.

No último dia 9, em Ceilândia (DF), Lázaro teria invadido uma residência familiar e assassinado Cláudio Vidal, de 48 anos, Gustavo Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos. O corpo da mulher do empresário e mãe das demais vítimas, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, foi encontrado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.

O indivíduo é investigado ainda por balear outras três pessoas, na mesma data (12/06), em Cocalzinho de Goiás e possui um histórico de crimes registrados anteriormente no Distrito Federal e interior da Bahia. Nas redes sociais circulam, ainda, áudios de pessoas que afirmam que o criminoso possui histórico familiar de rituais satânicos.

A SSP-GO afirmou que a força tarefa para captura do suspeito foi criada assim que a pasta tomou conhecimento da ocorrência na região do entorno do Distrito Federal. Durante a ação, um policial militar foi atingido com um tiro de raspão, enquanto resgatava outra família que estaria sendo refém do criminoso.


Leia mais sobre: / / / / / / Brasil / Cidades / Destaque