28 de junho de 2022
Brasil

Após Irlanda e França, Luxemburgo cogita não assinar acordo com Mercosul, por conta de queimadas

Irlanda e França já ameaçaram não assinar o acordo União Europeia com o Mercosul, caso o Brasil não cumprisse de forma imediata as obrigações climáticas impostas pelo Acordo de Paris e proteger a Amazônia, que teve registros de incêndios intensificados ao longo dos últimos 10 dias.

Por meio do ministro das Relações Exteriores, Luxemburgo comunicou que os desmatamentos que ocorrem na região amazônica “causa incêndios dramáticos”, afirma o ministro Jean Asselborn. O governo “espera que os parceiros do Mercosul respeitem, inclusive antes da conclusão do acordo negociado, os compromissos do Acordo de Paris”.

E por fim afirmou que caso não haja o compromisso com o Acordo de Paris, Luxemburgo “não poderá respaldar a assinatura do acordo se o Brasil não se preparar para respeitar a partir de agora as suas obrigações a respeito do Acordo de Paris que estão nas negociações com a UE”, mencionou.

Continua após a publicidade

O chanceler de Luxemburgo e o primeiro-ministro do país, Xavier Bettel irão propor ao conselho de ministros para que a decisão do acordo seja paralisada. Após 20 anos de negociação, o acordo foi anunciado em junho, durante a 14ª reunião de cúpula do G20, em Osaka no Japão.

No encontro do G7, na França que está acontecendo durante este final de semana (24 e 25 de agosto), o Reino Unido, Alemanha e a Espanha por outro lado, defenderam manter o acordo estabelecido e iminente à entrar em vigor e manter o debate ambiental em separado.