26 de junho de 2022
Desistência na frente ampla

Após impasses, José Eliton decide abandonar pré-candidatura ao Governo de Goiás

Ex-governador, no entanto, que segue com seu apoio ao ex-presidente Lula e a Geraldo Alckmin
Ex-governador José Eliton desiste da disputa em Goiás(Foto: Humberto Silva)
Ex-governador José Eliton desiste da disputa em Goiás(Foto: Humberto Silva)

 O ex-governador de Goiás, José Eliton (PSB) decidiu abandonar de vez a pré-candidatura ao Governo de Goiás. A decisão anunciada nesta quinta-feira (26/05) se dá após impasses e dificuldades da Federação Brasil Esperança em conjunto com o PSB em estabelecer unidade em torno ao nome que representaria a frente ampla progressista em Goiás.

“Uma vez que ainda não foi possível chegar a um consenso e como sempre defendi a necessidade de ampliação da frente, desejando deixar mais livres os partidos envolvidos nessas tratativas para que encontrem uma alternativa de nome que continue traduzindo as aspirações de uma frente no campo progressista”, pontua o ex-tucano por meio de nota.

Apesar de abandonar a pré-candidatura, José Eliton diz que está firme no projeto de eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu vice, Geraldo Alckimin. “Destaco que mantenho firme minhas convicções acerca da importância política do momento para o Brasil, da necessidade da eleição da chapa Lula/Alckmin como ponto garantidor do Estado Democrático de Direito, de políticas públicas de inclusão social, de desenvolvimento sustentável e de fortalecimento das instituições”, destaca.

Continua após a publicidade

A desistência de José Eliton começou a ser desenhada ontem (26/05) após reunião dos presidentes de partidos que compõem a Federação Brasil da Esperança em Brasília. Tudo indicava que o nome do ex-tucano seria sacramentado no próximo sábado (28/05), durante o Encontro Estadual do PT. Os caminhos indicavam que Wolmir Amado, nome do PT, seria seu vice. 

A decisão da cúpula da federação em definir o nome da Federação apenas em junho, não agradou José Eliton e o PSB. O ex-tucano, deu sinais que desistiria, mas Geraldo Alckmin pediu tempo para apaziguar os ânimos e tentar resolver a questão. Não deu certo e no começo da noite desta quinta-feira (26/05) o advogado anunciou o abandono da pré-candidatura. 

Leia a nota à imprensa que o ex-governador José Eliton:

Continua após a publicidade

A política se faz com ideais, sonhos, bons projetos e bons companheiros.

Nossa luta é por um país melhor, mais justo, mais humano e tolerante, que encha os corações de todos os brasileiros de esperança no amanhã.

Busquei contribuir para a consolidação de uma frente que ajude o Presidente Lula e o Vice-Presidente Alckmin na construção desse Brasil que sonhamos. Uma frente construída por líderes que carreguem nos corações e almas a convicção da importância desse movimento cujo objetivo maior é a construção de um país melhor e mais justo.

Agradeço ao Presidente Lula e ao Vice-Presidente Geraldo Alckmin pelo convite que me foi direcionado no sentido de liderar essa frente em Goiás. Agradeço ao PSB, PCdoB e PV, que entenderam nossa mensagem e buscaram avançar nesse projeto de país e de estado.

Agradeço ao PSB, especialmente ao Presidente Nacional, Carlos Siqueira, e ao Presidente Estadual, deputado Elias Vaz, pelo acolhimento e conclamação para referida missão e, agradeço ainda, ao prof. Wolmir Amado, pré-candidato a governador pelo PT, pelo diálogo constante na construção de um bom projeto para Goiás.

Finalmente, agradeço ao PT, por avaliar politicamente a necessidade de ampliação do palanque do Presidente Lula em Goiás ao tempo que compreendo seus processos internos e suas estratégias eleitorais, o que acabou por inviabilizar, até o presente momento, qualquer definição sobre o caminho que o partido quer seguir.

Destaco que o PSB solicitou uma definição ainda nesse mês de maio, por entendermos que qualquer candidatura, para minimamente avançar com objetivo de vencer as eleições estaduais desse ano, necessita de um tempo para ajustar suas diretrizes, para formatar sua estrutura de campanha, para formalizar o plano de governo que norteará as ações em caso de vitória e, principalmente, necessita de estabelecer um amplo diálogo com a sociedade, mediante ações de pré-campanha e posterior campanha.

Uma vez que ainda não foi possível chegar a um consenso e como sempre defendi a necessidade de ampliação da frente, desejando deixar mais livres os partidos envolvidos nessas tratativas para que encontrem uma alternativa de nome que continue traduzindo as aspirações de uma frente no campo progressista, comuniquei ao Pré-candidato a Vice-Presidente Geraldo Alckmin, ao Presidente do PSB nacional Dr. Carlos Siqueira e ao Presidente do PSB/GO, deputado Elias Vaz, que decidi abrir mão da minha pré-candidatura a governador.

Destaco que mantenho firme minhas convicções acerca da importância política do momento para o Brasil, da necessidade da eleição da chapa Lula/Alckmin como ponto garantidor do Estado Democrático de Direito, de políticas públicas de inclusão social, de desenvolvimento sustentável e de fortalecimento das instituições.

Sempre que chamado estarei à disposição do Presidente Lula e do Vice-Presidente Alckmin para contribuir para que o Brasil reencontre o caminho da democracia, do respeito, da prosperidade e das liberdades.

No âmbito do estado de Goiás a minha posição será a posição do meu partido. Que possamos contribuir para recolocar Goiás no caminho da justiça social e da geração de oportunidades. 

Não estamos em busca do poder pelo poder, não estamos na política para dividir, mas para somar. Não vamos estabelecer veto a quem quer que seja. Todos, absolutamente todos, estão convidados a lutar conosco, com o Presidente Lula e com o Vice-Presidente Alckmin, em favor de Goiás e do Brasil.