13 de abril de 2024
Segurança pública

Após fuga de presos em Mossoró, presídios federais terão reconhecimento facial e muralhas

As ações estão sendo estudadas após a fuga de dois presos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) na madrugada da última quarta-feira (14)
As alternativas foram anunciadas pelo ministro Ricardo Lewandowski nesta quinta-feira (15). (Foto: Jamile Ferraris/MJSP).
As alternativas foram anunciadas pelo ministro Ricardo Lewandowski nesta quinta-feira (15). (Foto: Jamile Ferraris/MJSP).

O Ministério da Justiça e Segurança Pública irá adotar medidas de segurança para modernizar o sistema de presídios federais. Entre as alternativas anunciadas pelo ministro Ricardo Lewandowski nesta quinta-feira (15), está a implementação do reconhecimento facial de todos que ingressam nas unidades prisionais e a construção de muralhas em todos os presídios federais, a exemplo do que foi feito no presídio do Distrito Federal.

As ações estão sendo estudadas após a fuga de dois presos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) na madrugada da última quarta-feira (14), sendo a primeira fuga de presos na segurança máxima federal registrada no Brasil. Após o ocorrido, o Ministério também irá fazer a requisição para a nomeação de 80 policiais penais federais, aprovados em concurso público, para reforçar o sistema prisional federal. Parte do contingente será deslocado para Mossoró.

Apuração da fuga

Dois tipos de investigação estão sendo realizadas para apurar as causas da fuga. Uma de caráter administrativo, para apurar responsabilidades disciplinares, e um inquérito policial que foi aberto no âmbito na Polícia Federal, para apurar eventual responsabilidade de natureza criminal e a participação de pessoas que possam ter facilitado a ação.

“Estamos atentos, operantes, e todos os esforços estão sendo desenvolvidos para a recaptura e na apuração de responsabilidade, tanto no âmbito administrativo quanto criminal”, disse Lewandowski. Ainda segundo o ministro, os dois presos utilizaram ferramentas encontradas dentro do presídio para escapar. A unidade estava passando por uma reforma interna e os equipamentos não foram guardados adequadamente.

De acordo com investigações prévias, os presos teriam escapado da penitenciária durante o banho de sol, por meio de uma abertura no teto da sela, que possui aproximadamente seis metros quadrados. Os fugitivos ainda não foram localizados e passaram a integrar a lista vermelha da Interpol.

Novo interventor

Após a fuga dos presos em Mossoró, Ricardo Lewandowski, assinou a nomeação de Carlos Luis Vieira Pires nesta quinta-feira (15), para assumir o cargo de novo interventor para a unidade prisional de segurança máxima de Mossoró (RN). Pires dirigiu a Penitenciária Federal em Catanduvas entre janeiro de 2019 e abril de 2023 e é agente federal de execução penal desde 2006.


Leia mais sobre: / / / / Brasil

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019