20 de maio de 2024
Cidade suja • atualizado em 15/04/2024 às 17:26

Após denúncia de falta de coleta de lixo há 15 dias, Prefeitura promete solução para próxima segunda (22)

Moradores relatam que o caminhão da coleta de lixo não passa regularmente há duas semanas, acumulando resíduos nas calçadas, gerando mau cheiro e riscos ambientais
Em alguns bairros da cidade o caminhão da coleta não passa há 15 dias. Foto: Luana Cardoso/DG
Em alguns bairros da cidade o caminhão da coleta não passa há 15 dias. Foto: Luana Cardoso/DG

Goiânia enfrenta problemas com coleta de lixo novamente. Desta vez, moradores relatam que em alguns bairros a espera pelo serviço da Comurg (Companhia de Urbanização de Goiânia) já contabiliza 15 dias. De acordo com o órgão, a empresa terceirizada vencedora da licitação se prepara para assumir os serviços de limpeza urbana a partir do dia 22 de abril, o que promete resolver a questão.

Segundo a jornalista e moradora do setor Parque Atheneu, Patrícia Santana, a coleta de lixo não passa há duas semanas e os cidadãos sofrem com o mau cheiro e acúmulo de dejetos. “Já juntei o lixo quatro vezes, porque tem duas semanas que o lixeiro não passa. Como não passa aqui em casa tem mais de 15 dias, já gastei uns sete, oito sacos de lixo, porque todo dia os gatos rasgam, os cachorros, os catadores de rua mexem”, relatou ao Diário de Goiás.

O problema também acomete moradores dos setores São Judas Tadeu, que aguardaram sete dias pelo caminhão da coleta, que passou no último sábado (13). Conforme o social media Rafael Miranda, morador do setor Aeroviário, o caminhão do lixo não passa desde a última quinta-feira (11). No setor Aeroviário, além da ausência de coleta, os moradores enfrentam problemas com os entulhos, que ocupam as calçadas.

No setor Morada do Sol, a coleta foi realizada nesta segunda (15), depois de sete dias de lixo acumulado nas calçadas. Segundo a servidora pública Lucilene Mendonça, moradora da região, até um tempo atrás o caminhão do lixo costumava passar regularmente, mas há duas semanas, a coleta que era realizada de duas a três vezes por semana passou a ocorrer somente uma vez. “Antes costumava passar às segundas, quartas e sextas, sem falta. Agora só passa uma vez por semana, acumulando lixo nas lixeiras, sujeira nas calçadas. Além de não ter dia certo, nem horário certo”, destacou ela.

Em nota ao Diário de Goiás, a Comurg informou que “está empenhada em regularizar a cobertura da coleta orgânica na cidade, com uma força-tarefa em andamento”. Conforme a companhia, a previsão é de que a nova empresa contratada para prestar serviços de limpeza pública inicie as operações na próxima segunda (22). A companhia ressaltou, por fim, que os bairros citados na matéria estão incluídos na programação de limpeza e serão atendidos o mais rápido possível, mas, não informou os motivos dos atrasos nos serviços de coleta de lixo na capital.

Nova empresa de limpeza

A empresa terceirizada vencedora da licitação para limpeza urbana da capital, Consórcio Limpa Gyn (Consórcio QC Ambiental), tem até 30 dias para o início das operações, contudo, vai assumir 51,11% do trabalho a partir do dia 22 de abril. Até o início da fase de transição, a Comurg é a responsável pelos serviços.

Com o início da limpeza urbana realizada pela empresa terceirizada, a Comurg continuará responsável pelos outros itens de seu contrato, como por exemplo, a varrição manual das ruas e avenidas da cidade. A contratação do consórcio segue a uma exigência do Ministério Público de Goiás, para resolver problemas com a coleta do lixo domiciliar, que se estende desde o ano passado.


Leia mais sobre: / / / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.