10 de agosto de 2022
Política • atualizado em 26/03/2020 às 12:14

Após 1ª morte, Caiado pede que goianos evitem ida a Brasília

Decreto de Caiado amplia período de isolamento.(Foto: Divulgação)
Decreto de Caiado amplia período de isolamento.(Foto: Divulgação)

O governador Ronaldo Caiado, em pronunciamento nesta quinta-feira (26), reforçou a preocupação do governo estadual com a região do Entorno do Distrito Federal. Brasília é uma das cidades mais atingidas do país, com 195 casos confirmados de Covid-19 e muitos goianos se deslocam à capital federal para trabalhar e outras atividades. A primeira morte no estado foi de Luziânia, na Ride-DF.

Caiado pediu expressamente que as pessoas evitem ir a Brasília. Ele ainda ressaltou que a estrutura hospitalar do Entorno não comportaria uma curva de casos muito acentuada na região.

“Evitem o deslocamento a Brasília. É uma das cidades com maior pico, pelo aeroporto internacional e o número de pessoas que fizeram viagens internacionais. Parem de passear em Brasília”, disse. “A região do Entorno é a mais preocupante neste momento. 1,2 milhão de pessoas adensadas e não temos a estrutura hospitalar. Contamos com apoio da PM e dos Bombeiros para auxiliar na orientação às pessoas para parar o fluxo a Brasília”, completou.

Continua após a publicidade

Caiado destacou que as medidas restritivas em Goiás colocaram o estado numa situação controlada da epidemia. “O quadro ainda está sob controle em Goiás. Nossa quarentena nos fez sair à frente”, afirmou.

Relaxamento das restrições

O período das medidas restritivas, com fechamento de comércio e escolas em Goiás vai, inicialmente, até o dia 4 de abril. Caiado afirmou que o governo avaliará os dados da infecção no estado para talvez implementar algum abrandamento.

Continua após a publicidade

“Em 15 dias vamos avaliar o que e se podemos liberar. Vamos mapear isso gradualmente. Vamos dosando também. Se a curva cresceu muito naquela região, voltamos de novo para a quarentena. (Vamos avaliar) Qual região do estado pode liberar mais, qual pode liberar menos”, disse.