27 de maio de 2024
100 maiores

Aparecida é a 4ª cidade que mais investe em saneamento básico por pessoa no Brasil; veja lista

Já o tratamento total de esgosto no município atende mais de 83% da população
Dentre as maiores cidades do Brasil, Aparecida de Goiânia investe cerca de R$ 463 por pessoa quanto à saneamento básico. (Foto: reprodução)
Dentre as maiores cidades do Brasil, Aparecida de Goiânia investe cerca de R$ 463 por pessoa quanto à saneamento básico. (Foto: reprodução)

Aparecida de Goiânia, a segunda maior cidade do estado, com aproximadamente 527 mil habitantes, apareceu em 4º lugar como municío que mais investe em saneamento básico por pessoa. É o que aponta o Ranking do Saneamento 2024, publicação do Instituto Trata Brasil que analisa anualmente indicadores das cem maiores cidades brasileiras.

Enquanto, na média, cidades investem R$ 138,68 por habitante. O Plano Nacional de Saneamento Básico estabelece que é necessário um investimento de R$ 231,09 por habitante e apenas dez investem acima disso, são elas Praia Grande, em São Paulo, com R$ 693, Santo André, também em São paulo, com R$ 628,07, Cuiabá, capital do Mato Grosso, com R$ 472,42 e, então, Aparecida de Goiânia, investindo R$ 463,28.

Dentro disso, o tratamento total de esgosto no município goiano atende mais de 83%, número acima da capital. O Tratamento total de esgoto em Goiânia é de 73,36%. Apesar disso o atendimento total de esgosto de aparecida é de pouco mais de 76%, e, na capital, é de 98%.

Dados são de acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento de 2022, os mais recentes, publicados pelo Ministério das Cidades. O ranking, então, foi feito a partir das informações coletadas dois anos após a aprovação do Marco Legal do Saneamento no governo Jair Bolsonaro.

No índice nacional, capitais da região Norte têm os piores resultados e investimentos no saneamento básico do Brasil e a cidade de Maringá, no Paraná, está no topo. O estudo ainda mostra que cerca de 32 milhões de pessoas não têm acesso à água potável no Brasil e 90 milhões não estão conectadas à rede de esgoto.

Por este motivo, os piores índices acabam sendo os de coleta e tratamento de esgoto. De acordo com o Trata Brasil, mais de 5.200 piscinas olímpicas de esgoto são despejadas diariamente na natureza sem tratamento.

Leia também: Goiânia é a capital no Centro-Oeste onde a coleta de lixo mais atende a população


Leia mais sobre: / / / Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.