26 de maio de 2022
Eleições 2012

Aparecida de Goiânia – Veter é segunda opção do PSDB. Ademir, a primeira

Predileto é de outro partido. Ademir Menezes (PSD) sai à frente nas pesquisas e ganha respaldo entre os tucanos. Presidente estadual da legenda declara que a orientação é para que se caminhe com a base do governo de Goiás visando unicamente o sucesso eleitoral.

 A oposição intensificou o clima de disputa pela prefeitura de Aparecida de Goiânia. Resultados da última pesquisa Serpes, divulgado pelo O Popular, revelaram grande vantagem do deputado estadual Ademir Menezes (PSD,) em relação ao pré-candidato tucano, Veter Martins. O primeiro alcançou 24,8% das intenções de votos, empatando com Maguito Vilela (PMDB), enquanto o segundo atingiu apenas 3,5% do eleitorado. A orientação partidária no PSDB, segundo o presidente estadual Paulo de Jesus, é clara: “Buscamos o sucesso eleitoral. Caminharemos com a base apoiando o candidato com maiores possibilidades de vitória”, declarou.

Em entrevista ao Diário de Goiás, Paulo de Jesus acrescentou ainda que o partido já havia realizado uma pesquisa interna que apontava resultados semelhantes aos divulgados na última semana. “Estamos cientes da vantagem de Ademir há algum tempo, porém, só iremos oficializar qualquer candidatura após as convenções partidárias”, disse.

Continua após a publicidade

Para o presidente, todo o partido entende que os passos dados neste processo eleitoral visam o sucesso. “Veter Martins ainda é um pré-candidato, no entanto, tenho certeza que ele compreenderá caso a legenda opte pelo apoio ao candidato pessedista”, continuou.

Enquanto isso, Veter defende sua postulação alegando possibilidades de crescimento e destacando seu pequeno índice de rejeição. “O Ademir Menezes, assim como o atual prefeito, precisa trabalhar para diminuir seus índices de rejeição popular. Eu tenho apenas que me ocupar em ser reconhecido. À medida em que eu for avançando nesse trabalho, avançarei também no respaldo da população de Aparecida”, afirmou o tucano.

Além dos apontamentos técnicos, o pré-candidato alimenta ainda esperanças na viabilização de sua campanha pela possibilidade de suspensão dos direitos políticos de Ademir. O Ministério público anunciou em primeira instância uma decisão que pode vetar qualquer atividade política do deputado pelos próximos seis anos.

Continua após a publicidade

IRREGULARIDADES

Longe da polêmica envolvendo o apoio tucano ao candidato do PSD em Aparecida, Ademir Menezes concentra forças em sua defesa no Ministério Público. O Juiz Gustavo Dalul Faria, da comarca de Aparecida de Goiânia, suspendeu os direitos políticos do prefeito Maguito Vilela, e dos ex-prefeitos Ademir Menezes e José Macedo de Araújo, por improbidade administrativa.

A sanção de Ademir decorre da desapropriação de imóveis em oito bairros de Aparecida para a implantação do Polo Empresarial Goiás. A ação foi realizada sem o pagamento de indenização de forma justa, prévia e em dinheiro, conforme regra constitucional. Alguns expropriados receberam quantias irrisórias, como R$ 403, 20 ou R$ 557,48, segundo demonstrações feitas pelo Ministério Público, que comparou esses valores com outros montantes recebidos, desta vez de maneira adequada, por dois fazendeiros. Eles obtiveram R$ 1,5 milhão e R$ 384,3 mil por suas propriedades.

A insuficiência de recursos e a falta de previsão orçamentária também ficaram evidenciadas nos autos. Documentos fornecidos pela Procuradoria Geral do Município dão conta que, em 2007, foram indenizados 1.540 imóveis urbanos e quatro rurais, mas ainda faltavam 3,41 mil ressarcimentos. A ausência de verba para o pagamento foi admitida por Ademir Menezes. O juiz concluiu que isso trouxe dano ao erário público, uma vez que os imóveis valorizaram e o município terá de desembolsar um volume muitas vezes superior para a quitação da dívida.

RESERVA

As declarações do presidente estadual do PSDB deixam claro que Veter Martins representa uma segunda opção no partido. “A decisão do MP em suspender os direitos políticos de Ademir foi em primeira instância, sabemos que cabe recursos. Por outro lado, caso a candidatura do deputado seja de fato impossibilitada, temos que ter um candidato do partido para disputar o pleito”, explicou Paulo de Jesus.

Questionado sobre a participação do governador Marconi Perillo (PSDB), neste processo de sucessão, Paulo foi objetivo: “O governador direciona todas as suas atenções para administração dos conflitos existentes no Estado. Ele só passará a intervir de forma direta neste processo, se houver uma intervenção, após as convenções partidárias”.

Paulo negou que a ordem de se apoiar quem está ganhando tenha vindo do governador, mas assumiu a postura como decisão partidária.

Leia mais sobre:
Eleições 2012