14 de junho de 2024
Política

Aparecida de Goiânia: uma cidade com 3 deputados

A posse do deputado estadual Marlúcio Pereira (PTB) realizada na última quarta-feira, reforçou a representatividade do município de Aparecida de Goiânia na Assembleia Legislativa, que atualmente tem uma bancada com dois deputados, Ademir Menezes (PSD) e Daniel Vilela (PMDB). Para o Marlucio, voltar a Casa aumenta ainda mais sua responsabilidade. “Aparecida é uma Cidade com demandas galopantes, quanto mais recursos conseguimos parece ser ainda pouco, por isso é um grande desafio e uma responsabilidade que assumo com muita disposição para levar água tratada a todos os bairros, mais asfalto, rede de esgoto, escolas, postos de saúde, segurança, cultura, esporte e lazer”, promete Marlúcio.

 

Durante a posse, o deputado foi surpreendido com a presença de uma comitiva aparecidense liderada pelo presidente da Câmara Municipal, Gustavo Mendanha (PMDB), que fez questão de prestigiar a cerimônia. O grupo também foi formado por lideranças religiosas e políticas como o ex-deputado, Léo Mendanha, pai de Gustavo e pelos vereadores William Ludovico (PMDB), Marcone Marinho (PTB), Roberto Chaveiro ( PSL ) e Antônio Ribeiro (PRTB), entre outros.
Emocionado, Marlúcio agradeceu a presença da comitiva. “Está é uma demonstração de carinho que só nos enche de alegria e ao mesmo tempo revela a importância de trabalharmos todos nós juntos pelo bem de Aparecida”, destacou o deputado.

A posse de Marlúcio foi possível depois que Cristóvão Tormin elegeu-se deputado pelo PTB, mas filiou-se ao PSD em setembro de 2010. Para efeito de posse na Assembleia Legislativa, prevalece o entendimento do TSE de que o suplente beneficiado é do partido de origem – no caso, o PTB.

Como Frei Valdair optou pela cadeira de vereador na Câmara Municipal de Anápolis, vai assumir mandato na Assembleia o terceiro suplente do partido, Marlúcio Pereira, que obteve 20.248 votos nas últimas eleições estaduais.

Em seu discurso Marlúcio lembrou da difícil fase vivida nas últimas eleições estaduais quando ele foi acusado de ter oferecido lanche numa reunião política quando disputava as eleições para a Prefeitura de Aparecida em 2008. “Fomos caluniados, injustiçados e tristemente vimos nosso nome, construído com tanto caráter, jogado numa vala comum daqueles que cometeram crimes eleitorais e tivemos nossa candidatura para deputado estadual em 2010 quase impugnada até a decisão final”, lembrou Marlúcio.

Em 2008 Marlúcio Pereira participou de um café da manhã em companhia dos ex-deputados Chico Abreu e Doutor Valdir Bastos, tendo ocorrido degustação de caldos e pão de queijo por parte de correligionários. Houve em seguida uma denúncia por parte do Ministério Público, acatada pelo TRE, que pediu a cassação dos diplomas dos três parlamentares.

Marlúcio recorreu ao TSE, o ministro-relator da época Ricardo Lewandowski desconheceu a prática de crime eleitoral, mas o processo ficou parado até 2011, quando foi editada a Lei da Ficha Limpa. Resultado: o registro da candidatura foi negado e Marlúcio só conseguiu ficar livre da denúncia – por 7 votos a zero – após o resultado da eleição de 2008. “Provamos que somos ficha limpa e agora é virar esta página e trabalhar firme por Aparecida e por todo nosso Estado em parceria com o governador Marconi Perillo”, enfatizou Marlúcio.


Leia mais sobre: Política