30 de maio de 2024
Alerta • atualizado em 01/02/2024 às 18:18

Alto índice de casos de dengue coloca Goiás em situação de emergência

Governo de Goiás confirmou a primeira morte por dengue em 2024
O Estado confirmou a primeira morte em decorrência da doença. Foto - Divulgação
O Estado confirmou a primeira morte em decorrência da doença. Foto - Divulgação

Em meio ao alto índice de casos de dengue, o governo de Goiás convoca gestores municipais, profissionais de saúde e população em geral a unirem forças para prevenir e enfrentar as doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti, em especial a dengue e a chikungunya.

De acordo com o secretário de Saúde, Rasível Júnior, a pasta aguarda as últimas notificações dos municípios para verificar se será decretado estado de epidemia pelas doenças no território goiano. O titular da pasta destaca que o Estado está em situação de emergência devido à predominância do sorotipo 2, que não circulava em Goiás há 15 anos. 

Rasível explica que esse subtipo é mais propenso a causar casos graves da doença e a atingir grande parte da população, principalmente crianças e adolescentes.

Dados da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), confirma uma morte por dengue e outras 29 segue em investigação. Nas três primeiras semanas de janeiro, Goiás registrou 11.643 casos de dengue.

Ainda nas primeiras semanas de janeiro, foram confirmados 737 casos de chikungunya em todo Estado. Segundo a SES há ainda 924 casos notificados para investigação. Nenhuma morte em decorrência da doença foi registrada. 

Combate à Dengue

Na semana passada, o governador Ronaldo Caiado promoveu uma reunião com prefeitos e secretários municipais de saúde dos 246 municípios, e solicitou o empenho de cada um para a instalação e pleno funcionamento dos Gabinetes de Combate à Dengue.

Uma das medidas mais efetivas para a prevenção da dengue continua sendo a limpeza de objetos que acumulem água parada e que se transformam em criadouros do mosquito. A Superintendente de Vigilância em Saúde de Goiás, Flúvia Amorim, explica que a maioria dos criadouros do mosquito Aedes aegypti são encontrados em domicílios.

“10 minutinhos que uma pessoa tira para verificar se há recipientes com água parada no quintal de casa, faz toda a diferença. 


Leia mais sobre: / / / Cidades