13 de agosto de 2022
Não deu • atualizado em 02/08/2022 às 20:15

Aliados afirmam que Lissauer Vieira desistiu da disputa ao Senado

Pessedistas não confirmam a desistência mas nas entrelinhas admitem que o clima não é dos melhores
Lissauer Vieira vai anunciar amanhã seu futuro político (Foto: Divulgação)
Lissauer Vieira vai anunciar amanhã seu futuro político (Foto: Divulgação)

Fontes que acompanham a agenda e rotina do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) revelam que o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD) vai anunciar nesta quarta-feira (04/08) a desistência da pré-candidatura ao Senado Federal. A decisão aconteceu na sequência de uma reunião com 25 prefeitos ocorrida ontem (02/08).

No evento, o tom de Lissauer era otimista com relação à pré-candidatura. Ao Diário de Goiás, presente na cobertura da reunião, o pré-candidato disse que tanto ele como o PSD chegaram a um consenso de caminhar junto com o governador Ronaldo Caiado mesmo diante da possibilidade de outras candidaturas avulsas na base. O parlamentar defendia que os outros candidatos chegassem a um consenso em torno de um único nome e a consequente unificação dos votos.

Apesar do contexto, Lissauer Vieira, disse que não tinha como evitar as outras pré-candidaturas e colocou panos quentes em torno do assunto. A avaliação após o encontro da cúpula pessedista, foi de uma pré-candidatura que não tinha a força política esperada, afinal de contas, o governador Ronaldo Caiado tem o apoio de 214 prefeitos. Só 25 compareceram. Apenas Paulo do Vale, de Rio Verde, representou a região onde Lissauer tem bases. Na prática, foi desanimador.

Continua após a publicidade

As pesquisas de intenção de voto também não alavancam. Apesar do PSD adotar a tese que o eleitorado só vai definir quem vai votar a senador no fim do período eleitoral, mesmo com o nome posto há mais de um mês, Lissauer Vieira não aparece com mais de 4% nas pesquisas, empatado tecnicamente com outros pré-candidatos que sequer tem mandato ou a exposição do parlamentar.

Pessedistas não confirmam a desistência mas nas entrelinhas admitem que o clima não é dos melhores. O pré-candidato deverá fazer um comunicado oficial à toda a imprensa nesta quarta-feira (03/08) e a expectativa é da confirmação que o presidente da Assembleia Legislativa anuncie mesmo a desistência. O PSD, no entanto, não deverá configurar a rota na disputa das eleições.

Presidente do partido, Vilmar Rocha que deveria ser o primeiro suplente de Lissauer, está sendo convencido a disputar a cadeira, mantendo a configuração inicial da legenda em ter um nome representando os pessedistas na majoritária como senador. Em 2014, o advogado chegou a disputar o cargo ficando em segundo lugar.

Continua após a publicidade

Na época, apenas uma cadeira estava disponível. Concorreu justamente contra o governador Ronaldo Caiado que era deputado federal e conquistou o posto. Agora, ao que tudo indica, poderá tentar de novo o pleito. Desta vez, ao lado do democrata. O pré-candidato a vice-governador Daniel Vilela (MDB) tenta convencer Vilmar à se lançar com apoio da base governista em uma candidatura avulsa, já que o deputado federal delegado Waldir também deverá confirmar a candidatura.