07 de agosto de 2022
Movimentações

Aliada de Gustavo Mendanha, Magda Mofatto diz que não descarta apoiar Major Vitor Hugo

Pré-candidato a governador do PL já havia admitido que a deputada federal pode sofrer algum tipo de punição, caso não esteja ao lado da decisão do partido
Magda Mofatto afirmou que torce para uma possível, embora improvável, composição entre Gustavo Mendanha e Major Vitor Hugo (Foto: Reprodução)
Magda Mofatto afirmou que torce para uma possível, embora improvável, composição entre Gustavo Mendanha e Major Vitor Hugo (Foto: Reprodução)

Até o momento aliada do pré-candidato a governador Gustavo Mendanha (Patriota), a deputada federal Magda Mofatto (PL) disse, ao Diário de Goiás, que não descarta apoiar o governadoriável de seu partido, Major Vitor Hugo.

“Essa possibilidade pode existir”, afirmou a parlamentar, que teve seu nome confirmado, durante convenção na manhã desta sexta-feira (29/07), na chapa do PL para a disputa de uma vaga na Câmara dos Deputados.

Major Vitor Hugo já havia admitido que Magda Mofatto pode sofrer alguma punição, caso não esteja ao lado da decisão do partido. “Tenho sido pressionado pelos convencionais e por pré-candidatos a tomar algum tipo de atitude a partir do momento que houver a convenção.”

Continua após a publicidade

A deputada federal declarou que, independentemente de qualquer circunstância, apoiará a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). “Eu sou Bolsonaro, e o Mendanha também é Bolsonaro. Quem sabe ele não se junta ao Vitor Hugo? A vaga de vice ainda está em aberto”, pontuou.

LEIA TAMBÉM: Major Vitor Hugo descarta esposa de Vanderlan Cardoso como sua vice
LEIA TAMBÉM: Major Vitor Hugo diz que deixou “portas totalmente abertas para Lissauer”

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Mendanha, que, no início do ano, tentou se filiar à sigla de Bolsonaro e é alvo constante de críticas de Major Vitor Hugo, informou que o pré-candidato a governador do Patriota não entrará nesse assunto. “A Magda é uma amiga muito querida por ele, mas essa é uma questão do PL.”

Continua após a publicidade