26 de junho de 2022
Interditado • atualizado em 20/05/2022 às 16:51

Agetul contesta fechamento do Parque Mutirama e diz que desde quando foi reaberto não houve nenhum incidente

O presidente da Agetul disse que desde a reabetura do Parque, em agosto de 2020, uma empresa terceirizada realiza mensalmente a manutenção de todos os brinquedos
(Foto: Arquivo DG)
(Foto: Arquivo DG)

A Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), contesta o fechamento do Parque Mutirama pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) nesta quinta-feira (19). Ao Diário de Goiás, o presidente da Agetul, Valdery José da Silva Júnior, explica que esta é uma ação de 2017, onde na época houve um acidente com o brinquedo Twister.

”Uma decisão que veio cinco anos depois. Eu quero elucidar que todas as medidas já foram sanadas, o que foi na época identificado como irregular, hoje já foi sanado”, explica.

Valdery explica que desde 2017, quando aconteceu o acidente, o Mutirama recebe uma série de processos em relação a segurança dos brinquedos do parque. Mas o presidente da Agetul ressalta que, desde a reabetura do Parque, em agosto de 2020, uma empresa terceirizada, Opção engenharia, realiza mensalmente a manutenção de todos os brinquedos.

Continua após a publicidade

”O que eu quero deixar claro é que desde agosto de 2020, existe uma empresa de manutenção, que faz a manutenção preventiva, corretiva e preditiva dentro do Parque Mutirama. Essa empresa é responsável por mensalmente emitir uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), que é emitida pelo Crea”, explica Valdery.

De acordo com o presidente, até o momento a prefeitura de Goiânia ainda não foi notificada em relação a essa sentença em específico. Mas Valdery garante que a Agetul vai recorrer dessa sentença, porque segundo ele, hoje não há nenhum impecílio para que o parque seja fechado.

”O Parque é seguro, é público, não se cobra um centavo do valor de ingresso, tudo isso para garantir as políticas públicas de lazer”, destaca.

Continua após a publicidade

Conforme Valdery,a Agetul não tinha conhecimento desse processo. ”Nós estamos resguardados, agora que tomamos providências, já informamos toda documentação’. Segundo presidente, na manhã desta sexta-feira (20), o Crea esteve no parque para convalidar a atividade fiscal do Mutirama. ”O parque está em dias seguindo a todas as normas regulamentadora do parque de diversão”, afirma.

Desde quanndo assumiu a gestão, Valdery disse que a preocupação da prefeitura sempre foi a segurança do parque. ”Por diversas vezes procurei o Ministério Público, o Crea para nos orientar sempre nas tomadas de decisões”, garante.

Brinquedos fechados

Ao menos três brinquedos do Parque Mutirama segue fechado, sendo eles, trem fantasma, tobogã e teleférico. Valdery explica que em relação ao Tobogã, ele permanecia fechado por conta do Coe, porque segundo ele, não tinha como fazer a sanitização do brinquedo. Mas o presidente garante que ele passou por manutenção e após o feriado da próxima semana, o brinquedo será liberado. ”Estamos fazendo a compra dos insumos necessários para a utilização desse brinquedo”, garante.

Já o Trem Fantasma, fechado desde 2017, Valdery garante que será entregue para a população nos próximos três meses. Segundo ele uma nova licitação foi feita com novo projeto para o brinquedo. ”É pra ser a melhor casa mal assombrada da América Latina”, enfatiza.

O Teleférico que também segue fechado, Valdery explica que o brinquedo está em fase final de processo licitatório, com um emenda parlamentar de R$ 1 milhão mais R$ 600 mil com recursos próprios da Agetul de arrecadação de bilheteria. ”Estamos concluindo com a equipe técnica o termo de referência. Já estamos em fase final”, ressalta.

Leia também: