25 de junho de 2024
Previsão preocupante

Aeroporto de Porto Alegre só deve reabrir na segunda quinzena de dezembro

O aeroporto passará ainda por uma análise das condições das pistas de decolagens e pousos em julho, para melhor estimativa
Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, alagado após enchentes do RS. Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, alagado após enchentes do RS. Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil

O ministro da Secretaria Extraordinária da Presidência da República de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, anunciou na última segunda-feira (3), que ao que tudo indica, o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre (RS), só deve retomar suas atividades na segunda quinzena de dezembro deste ano. O aeroporto da capital do Rio Grande do Sul está fechado desde o começo de maio, quando a cidade foi assolada pelas enchentes.

Apesar da estimativa, o ministro afirmou que a previsão da abertura ainda depende de uma conclusão da análise da pista de pousos e decolagens, que será finalizada em julho. A concessionária responsável pelo Aeroporto de Porto Alegre, a Fraport Brasil, suspendeu as operações aeroportuárias há 30 dias por tempo indeterminado e confirmou à Agência Brasil que não tem como garantir um prazo específico, mas confirmou a data prevista pelo ministro Pimenta.

A Fraport disse em nota que os testes para avaliação da resistência do solo já foram iniciados na segunda (3) para avaliar os impactos causados pelo acúmulo de água nas pistas. Serão avaliados desde a compactação do solo até a pavimentação, o que deve durar em torno de 45 dias, dependendo das condições climáticas nesse período. Se houver necessidade de intervenções nas pistas, isso deve ser sinalizado pelos testes e decidido até julho.

Reconstrução

A empresa também iniciou a limpeza tanto das pistas quanto da parte interna do Aeroporto. Conforme a Fraport Brasil, ainda não há como detalhar o valor total dos danos a equipamentos de precisão utilizados nas operações aeroportuárias. A Fraport afirmou que está “em contato permanente com as seguradoras para avaliação do cenário, recebendo vistorias recorrentes e realizando o inventário de todos os itens que foram impactados”.

O fechamento do Aeroporto sinaliza impacto econômico forte à Porto Alegre e o governo federal já atua para que a situação seja normalizada o quanto antes. Paulo Pimenta anunciou que criará dentro da pasta extraordinária que comanda, uma sala permanente de acompanhamento sobre o aeroporto da capital gaúcha. 

Alternativas emergenciais

Atualmente, enquanto o Aeroporto de Porto Alegre não volta a operar, os voos comerciais da região metropolitana da capital gaúcha estão sendo feitos na Base Aérea de Canoas, em caráter emergencial. A alternativa está funcionando desde 27 de maio, e, o Ministério dos Portos e Aeroportos anunciou que a partir de 10 de junho a quantidade de voos comerciais neste mesmo terminal militar irá dobrar.

A expectativa é de que o número suba para dez partidas e dez chegadas diárias. Segundo o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, o governo federal e a Anac já estudam também a possibilidade de habilitar voos noturnos. No momento, a Fraport realiza o check-in, despacho de bagagem e embarque dos passageiros em um terminal de embarque remoto no térrero do ParkShopping Canoas.

Com informações da Agência Brasil


Leia mais sobre: / / / Brasil

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.