28 de fevereiro de 2024
Parceria • atualizado em 30/11/2023 às 18:19

Acordo entre Gracinha Caiado e Vilmar Mariano firma implantação do Família Acolhedora

O programa terá projeto piloto em Aparecida de Goiânia. Projeto dará suporte àqueles que são afastados de seus lares por conta de violência doméstica
Gracinha Caiado e Vilmar Mariano assinaram o termo de colaboração para implantação do programa em Aparecida. Foto: Wesley Costa
Gracinha Caiado e Vilmar Mariano assinaram o termo de colaboração para implantação do programa em Aparecida. Foto: Wesley Costa

A Prefeitura de Aparecida de Goiânia firmou parceria com o Governo de Goiás para implantação do projeto piloto do programa Família Acolhedora no município. A coordenadora do Goiás Social, a primeira-dama Gracinha Caiado, e o prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano, assinaram o termo de cooperação que concretiza o trabalho conjunto nesta quinta-feira (30).

O programa Família Acolhedora tem o objetivo de dar suporte a crianças e adolescentes que são afastados de seus lares por conta de violência doméstica. A iniciativa é um serviço pensado para a proteção de crianças e adolescentes por meio de medida protetiva, que serão recebidos por famílias acolhedoras cadastradas. Essas famílias devem apresentar certidões negativas e laudos para receber essa criança ou adolescente.

Planejamento

A primeira-dama destacou o planejamento dos envolvidos na ação. “Nós já estamos há cinco meses capacitando os técnicos das secretarias para que possam trabalhar junto dessas famílias que vão receber esses jovens. O que eles mais vão precisar é de cuidado e amor para depois voltar às suas famílias que, durante esse período de distanciamento, também estarão sendo assistidas com tratamentos psicológicos”, explicou Gracinha.

De acordo com o titular da Seds, Wellington Matos, o início dos acolhimentos no Família Acolhedora será já nos dois primeiros meses de 2024. O secretário destacou, ainda, o valor a ser recebido pelas famílias. “É bom lembrar que essas famílias acolhedoras receberão apoio do Estado de um salário mínimo por criança. Em caso de pessoa com deficiência, esse valor terá 30% adicionado. É um serviço feito com muito carinho e com todo apoio técnico da pasta, da prefeitura e de consultores especializados para seja um caso de sucesso em Goiás”, disse o secretário.

Como vai funcionar

Quando uma criança ou adolescente é identificado em situação de vulnerabilidade, a Justiça o direciona a famílias para fazerem esse acolhimento familiar. Essas famílias que recebem as crianças são previamente selecionadas para fazerem o acompanhamento dentro do programa Família Acolhedora.

Conforme o promotor Márcio do Nascimento, que atua na 3ª Promotoria de Justiça de Aparecida de Goiânia, o acolhimento é “uma excepcionalidade” e a iniciativa do governo estadual em parceria com a prefeitura se justifica como uma tentativa de “resgatar a dignidade da família”. O programa Família Acolhedora vai permitir a preparação e o retorno da criança ou adolescente ao vínculo biológico após tratamentos psicológicos. A legislação não contempla a possibilidade de adoção.


Leia mais sobre: / / Notícias do Estado

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.