09 de agosto de 2022
Cidades

Acordo assinado entre governo e Enel tenta suprir demanda reprimida de energia elétrica em Goiás

Acordo assinado na sede do governo de Goiás teve participação da Aneel e de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (foto Rodrigo Schimdt)
Acordo assinado na sede do governo de Goiás teve participação da Aneel e de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (foto Rodrigo Schimdt)

O governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado, ao lado do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque e do presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assinou nesta segunda-feira, (26/08), o termo de compromisso com a Enel, que busca uma resolução nos problemas que empresários, produtores rurais e cidadãos vem enfrentando com relação à qualidade do serviço de distribuição de energia prestado pela companhia italiana.

Continua após a publicidade

 
De acordo com o governador, Goiás poderá ter a expectativa real de conseguir atender a demanda reprimida de energia elétrica no Estado. Caiado reiterou que o termo de acordo foi assinado com total segurança e será implantado dentro do prazo, com os investimentos necessários. “Esse termo de acordo é um termo que nós estamos com a confiança que tudo aquilo que foi assinado será implantado dentro do prazo e com os investimentos necessários”, pontuou.

Ele garante que, de imediato, uma demanda de contratação de aproximadamente 1500 eletricistas vai ser gerada.  “Este termo de acordo ele vai de imediato gerar demanda de aproximadamente 1500 eletricistas. Estou citando só um dos elementos necessários para a extensão e a capacidade de ampliar a oferta de energia elétrica. Será um trabalho feito não apenas nas cidades mas também o atendimento às propriedades rurais que tem sido duramente penalizadas com a falta de energia”, enfatizou. Este, é um dos elementos que será necessário para a extensão e a capacidade de ampliar a oferta de energia elétrica em Goiás.

O trabalho não será feito apenas nas cidades, mas, também, nas propriedades rurais, que têm sido duramente canalizadas com a falta de energia. Uma política do Ministério de Minas e Energia, tem como objetivo avançar também nas regiões mais carentes, para que seja possível atender aos assentamentos e aos produtores de baixa renda. Levando o que é fundamental para o processo de desenvolvimento, que é a energia elétrica. 

Continua após a publicidade

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, fará uma parceria com a secretária do meio ambiente do Estado de Goiás, Andréa Vulcanis, para que as liberações das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) “sejam mais céleres” e, com isso, o Estado de Goiás gere investimentos em todos os quadrantes. “É um estado que tem um potencial hídrico enorme”, salientou.

Em seu breve comentário a respeito do acordo, Rodrigo Maia se mostrou contente e, ressaltou que com o feito, o Estado só tem a prosperar. Segundo ele, Goiás dará um bom exemplo para todo o Brasil.  

O ministro Bento Albuquerque, enfatizou que o trabalho conjunto foi determinante para a realização do acordo, bem como, será o primeiro passo para que Goiás tenha energia necessária para o seu desenvolvimento.

“Um trabalho a 4 mãos, com cada um dentro das suas esferas de competência, levou a esse termo de compromisso que vai trazer alívio para as necessidades de energia do Estado de Goiás”, afirmou o ministro. 

{nomultithumb}